Dicas para valorizar espaços com efeitos incríveis de iluminação

A luz certa em conjunto com os materiais adequados podem fazer maravilhas na sua casa

Por Redação Atualizado em 27 abr 2022, 17h51 - Publicado em 29 abr 2022, 19h00
Escritório com mesa com duas estações de trabalho, uma em frente a outra. Paredes contam com diversas prateleiras. O teto em gesso guarda uma fita de luz próxima a uma das paredes, enquanto mais ao centro do teto jazem spots de luz. A Iluminação é branca e o móveis são todos de madeira.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

Para quem tem uma rotina intensa, não há nada melhor do que chegar em casa e relaxar. Por isso, um projeto de arquitetura de interiores e iluminação precisa ser bem pensado para o conforto de seus moradores.

Mesa de bilhar em ambiente integrado a sala de estar. Acima da mesa estão luminária pretas em forma de hemisférios.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

Esse desafio é sempre encontrado pelas arquitetas Paula Passos e Danielle Dantas, do escritório Dantas & Passos Arquitetura, em suas obras. Como inspiração, as profissionais apresentam um projeto de um amplo apartamento com uma atmosfera totalmente aconchegante.

Para proporcionar esse efeito, a aposta foi principalmente na iluminação de led, pensada para muitos cantinhos do imóvel.

Sala de estar com painéis de madeira que guardam fitas de led que auxiliam na iluminação do ambiente.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

“Planejar cada ponto de luz, desde o início, aumenta a eficiência do projeto como um todo e, a partir disso, a decoração será valorizada e as expectativas dos clientes serão alcançadas. A luz correta faz toda a diferença!”, diz Paula

Sala de Estar

Sala de estar com um grande sofá azul acinzentado. A parede atrás deste móvel é revestida de madeira e guarda fita de led que auxiliam na iluminação do ambiente.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

No caso específico das salas de estar, que muitas vezes são integradas com outros ambientes –TV, jantar, varanda ou home office –, o indicado é separar os pontos de iluminação e setorizá-los por regiões específicas, para que possam ser acionados juntos, ou separadamente, de acordo com as situações.

Como as salas costumam ter um clima mais agradável, para conversas e momentos relax, o ideal é a utilização de lâmpadas de cores quentes (2700K a 3000K).

Vista da sala de estar a partir do ponto de vista do sofá. É possível ver uma TV em frente, fixada em uma parede de madeira. No teto, spots de luz iluminam o ambiente.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

Esses ambientes podem ser iluminados de forma mais suave – com circuitos pontuando mesas de centro ou laterais, objetos de destaque, entre outros –, sempre com cuidado para não deixar as áreas de circulação escuras.

Algumas paredes com quadros ou revestimentos especiais podem ganhar evidência com a iluminação direcionada. Atenção: no caso de quadros, o excesso de luz ou raios UV pode danificar as telas. Evite pontos de luz acima de sofás, poltronas ou cadeiras, afinal esses focos diretos podem causar desconforto.

Salas de jantar

Sala de jantar com mesa quadrada de 8 lugares. Uma luminária esférica branca acima da mesa ilumina o ambiente, que é cercado por grandes janelas do chão ao teto, cobertas por cortinas semitransparentes.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

Protagonista dos eventos em família, a sala de jantar merece uma luminária que traga boa luminosidade à mesa. Nesse caso, são bem-vindos os pendentes decorativos ou, de forma mais discreta, os pontos de luz embutidos no forro de gesso, posicionados corretamente de forma a iluminar bem a mesa.

Luzes de apoio

Hall de entrada com parede em frente ao elevador e teto revestidos de madeira. A iluminação é feita por fitas de led que vão da parede ao teto.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

“Em ambientes sociais é permitido brincar com diferentes cenas de iluminação. É recomendado usar arandelas de paredes, luminárias de mesa ou de piso, além dos embutidos de forro. Sempre dê preferência às luzes indiretas nesses casos”, conta Paula.

Continua após a publicidade

“Outro recurso interessante é a automação para controle das cenas, com o uso de um dimmer para definir a intensidade”, complementa.

Cozinhas

Cozinha com móveis embutidos. Luzes direcionadas iluminam principalmente as bancadas.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

Ambientes de trabalho, como as cozinhas, necessitam de lâmpadas com um alto índice de reprodução de cor, o IRC (quanto mais próximo de 100, melhor), uma vez que é essencial enxergar com precisão o preparo dos alimentos. Portanto, o indicado é projetar uma luz geral e eficiente.

É importante também iluminar bem as bancadas de trabalho e, para isso, algumas soluções são as luminárias com foco ou, até mesmo, fitas de leds de luz contínua embaixo dos armários.

Ilha da cozinha com fogão cooktop e exaustor de inox.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

“É comum ter a cozinha integrada com a área social da casa. Assim, sugerimos que a sua iluminação acompanhe os demais ambientes, permanecendo integrada. Não fica bacana a mistura de cores de lâmpadas em espaços abertos e, nas cozinhas fechadas, as luzes mais brancas, acima de 4000K, podem funcionar bem”, aconselha Danielle.

Quartos

Quarto de casal com iluminação em led na parede de cabeceira. Fitas de luz realizam uma iluminação indireta.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

Quando o assunto é relaxamento, o quarto é o grande refúgio.

Canto de quarto com um pequena poltrona branca. Duas fitas de led paralelas vão do chão e seguem no teto iluminando o ambiente.

Por isso, o ambiente necessita de lâmpadas de cores quentes (2700K a 3000K), assim como de luzes indiretas para preparar o corpo e a mente para os momentos de descanso. Abajures também são uma ótima pedida.

Banheiros

Banheiro iluminado por fitas de led atrás do espelho e no teto.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

Necessitam de uma luz uniforme, clara e intensa, especialmente na bancada da cuba. É preciso evitar sombras na área próxima do espelho, pois podem atrapalhar a visão do rosto.

Normalmente, as lâmpadas refletoras criam um sombreamento maior, por isso as arquitetas indicam utilizar luminárias com lâmpadas difusas, ou com luz linear (pode até ser indireta), para que o rosto fique iluminado de forma homogênea. Inclusive, arandelas de parede na lateral são muito bacanas!

Home Office

Escritório com mesa com duas estações de trabalho, uma em frente a outra. Paredes contam com diversas prateleiras. O teto em gesso guarda uma fita de luz próxima a uma das paredes, enquanto mais ao centro do teto jazem spots de luz. A Iluminação é branca e o móveis são todos de madeira.
Herman Charles Christ/Buzina de Imagem/Casa.com.br

Para finalizar, esse ambiente não poderia ser esquecido! Nos últimos dois anos aumentou o número de pessoas que trabalham de forma híbrida. Sendo assim, a temperatura de cor mais indicada é a neutra (4000K), pois estimula a concentração.

Em contrapartida, o equilíbrio também é importante. Portanto, a combinação entre luz neutra para a iluminação geral e luz quente para alguns pontos de apoio (como abajures e arandelas) pode estimular a criatividade.

Continua após a publicidade

Publicidade