Decoração afetiva e integração de ambientes marcam este apê

O projeto - assinado por Paula Scholte - integrou os ambientes do imóvel antigo e trouxe personalidade com móveis e arte

Por Redação Atualizado em 23 jun 2022, 14h47 - Publicado em 23 jun 2022, 13h00
Sala de estar integrada ao jantar; sofá cinza; mesa de jantar em madeira; quadros na parede e piso em taco
Sambacine/Casa.com.br

Quando a profissional Paula Scholte entrou neste apartamento pela primeira vez, o estado do imóvel não era bom. Porém, ela logo encontrou inspiração para renová-lo e transformá-lo em seu lar.

“Me veio um estalo: é esse! Consegui ver o potencial que ele tinha e várias características que gosto muito em apartamentos antigos”, conta.

Sala de estar e tc com rack em madeira e sofá cinza
Sambacine/Casa.com.br

Dentre as estruturas mantidas estão o piso de taco, o pé-direito alto e as sancas decorativas. Boa parte das paredes que dividiam os espaços, contudo, foram postas abaixo. “A primeira coisa foi derrubar o máximo de paredes para integrar os ambientes. A sala cresceu bastante, integrando o primeiro quarto e eliminando o corredor.”

Cozinha integrada com bancada; piso geométrico; parede com tijolinhos pretos
Sambacine/Casa.com.br

Antes da reforma, a cozinha era apertada e escura. Durante o processo de integração e derrubada das paredes, descobriu-se a tubulação de águas pluviais do prédio. Como ela não podia sofrer alterações, a solução foi deixá-la à mostra, pintada de preto. O piso recebeu um padrão estampado e as paredes o tijolinho preto.

“A área de serviço fica escondida por trás do painel de entrada, que chamamos de ‘passagem secreta'”, revela Paula.

Continua após a publicidade

Quarto com cabeceira; mesinha lateral; meia parede rosa
Sambacine/Casa.com.br

Nos dois quartos a principal mudança foi a retirada da parede entre eles para criar um closet no quarto principal. O outro espaço converteu-se em home office e ateliê para as criações de Paula.

Poltrona e estante

Para os móveis, a arquiteta escolheu as opções soltas, já que gosta da possibilidade de mudar o layout de tempos em tempos e testar novas composições.

Baú servindo como mesinha de centro
Sambacine/Casa.com.br

“Acredito que a casa conta a história de quem mora nela. É uma coleção do que os moradores amam. Na minha casa várias peças têm significados especiais e memórias afetivas.

Eu amo viajar e trazer um pouquinho da experiência para casa. Adoro garimpar em feiras e mercados locais. Dá vontade de trazer tudo! Sempre dou um jeito de caber na mala!”

Veja mais fotos do projeto na galeria abaixo!

Continua após a publicidade

Publicidade