Revestimentos: confira dicas para combinar pisos e paredes

Expert no tema, a Tarkett ensina a misturar texturas e desenhos, criar contrastes entre tonalidades e fazer o piso “subir pelas paredes”

Por Redação Atualizado em 18 Maio 2022, 16h15 - Publicado em 20 Maio 2022, 19h00
Foto mostra corredor com piso amadeirado e aparador com gavetas, livros e luminária articulada. As paredes têm revestimento vinílico com desenhos geométricos em tons de azul e, ao fundo, vê-se a sala de estar com sofá e mesinha lateral.
Tarkett/Divulgação

A questão é simples: pisos e paredes não só podem como devem ser combinados na decoração. A dúvida é como fazer isso, certo? Para ajudar você nessa empreitada, aproveitamos a experiência da Tarkett no setor para listar algumas dicas que podem fazer a diferença. Aproveite!

1. Combinação é tudo 

Piso em quarto
Reprodução/Pinterest

Harmonizar e ter os elementos combinados entre si em um projeto levando em conta as premissas estabelecidas entre estilo, gostos e necessidades do projeto é fundamental. Ao combinar elementos que não guardam nenhum tipo de relação, o erro é certo.

Isso não significa que pisos e paredes necessariamente precisam ser iguais em tudo, sobretudo quando falamos em cor. Também é possível ter características diferentes e desenvolver um décor que pode se tornar especial para você e a sua família.

2. Contraste entre tonalidades 

Sala de estar com cores neutras no piso e na parede, em tons cimentícios. Há uma poltrona de madeira com estofamento verde, uma estante de madeira com vasinhos de plantas e objetos decorativos.

Se você não sabe por onde começar a pensar sua combinação de pisos e paredes, um excelente ponto de partida pode ser o de criar um contraste de tonalidades entre esses elementos, podendo até utilizar o mobiliário como “transição”. Isso deixa o ambiente com uma dinâmica e fluidez visual que certamente atrai o olhar.

Sala de jantar com piso em madeira e parede rosa
Charlota Blunarova/Unsplash
Continua após a publicidade

Por exemplo: ao escolher um piso vinílico que imita madeira clara (e o inverso vale quando ele é escuro), você pode aplicar nas paredes uma cor mais escura na pintura ou até um acabamento mais diferenciado, como o cimento queimado.

Deixe as cores quentes fluírem nos detalhes, preferencialmente em itens e objetos menores que possam ser trocados facilmente ao longo dos anos.

3. Subindo pelas paredes

Duas fotos mostram uma sala de jantar em que o piso amadeirado sobre pelas paredes e atinge parte do teto, delimitando a área.

As réguas de piso vinílico são excelentes alternativas para revestir paredes porque, além de ser leve e modular, a instalação é rápida.

Uma das soluções que cada vez mais arquitetos e designers de interiores vêm explorando com vinílicos é prolongar a paginação do piso subindo pelas paredes, podendo até cobrir o teto. Essa solução dá sensação de amplitude ao espaço e é uma boa sugestão para ambientes pequenos.

4. Mix de texturas e desenhos

Foto mostra quarto infantil, com destaque para piso amadeirado e parede revestida com vinílico com pequenos desenhos. Há um balanço de corda e madeira com bichinhos de pelúcia.

Além do contraste entre tonalidades em uma paleta neutra, outra carta na manga que você pode utilizar para destacar uma combinação entre pisos e paredes é a mescla entre desenhos e texturas.

Nesses sentido, as opções em pisos vinílicos ampliam muito as possibilidades. Sobretudo nos padrões amadeirados, o vinílico reproduz uma textura que remete à sensação tátil de pisar sobre um piso de madeira natural. Isso fica ainda melhor quando a parede pode se complementar a essa experiência sensorial.

Continua após a publicidade

Publicidade