Apartamento de 38 m² no Leblon ganha ares de loft após reforma completa

Comandado pelo escritório Pílula Antropofágik Arquitetura, o projeto preservou apenas o piso de taco original e criaram uma base clara com destaques verdes

Por Yara Guerra Atualizado em 29 jul 2021, 20h27 - Publicado em 30 jul 2021, 13h00
Cadeiras Tolix com braço. Revestimento da parede curva: Colormind Acqua brilho, fornecido pela Tanto Revestimento Juliano Colodeti, do MCA Estudio/Casa.com.br

Projetado pelos arquitetos Richard de Mattos e Maria Clara de Carvalho, sócios do escritório Pílula Antropofágik Arquitetura, este apartamento de 38 m² no Leblon foi pensado para um casal na faixa de 35 a 45 anos.

Marcenaria desenhada pela Pílula TGK e executada em madeira pinus Juliano Colodeti, do MCA Estudio/Casa.com.br

Trata-se de um imóvel comprado pelo casal para servir de pouso quando vem ao Rio de Janeiro. A principal demanda era inverter a sala de estar com o quarto (criando um corredor de acesso para área social), transformar a antiga cozinha e área de serviço em banheiro do quarto (hoje uma suíte) e a varandinha em área gourmet com uma pequena lavanderia camuflada nos armários.

Juliano Colodeti, do MCA Estudio/Casa.com.br

Além disso, uma nova cozinha foi criada, agora aberta para a nova sala. A reforma foi, portanto, geral. Tudo foi colocado abaixo. Apenas o piso original em taco foi preservado.

Após a reforma, o imóvel conta agora com uma suíte, corredor, cozinha, sala, banheiro social e varanda. Os profissionais procuraram preservar ao máximo a luz natural nos espaços, deixando a base mais clara para destacar do todo um elemento arquitetônico orgânico na cor verde.

Juliano Colodeti, do MCA Estudio/Casa.com.br

As toras de madeira no teto da sala embutem uma iluminação indireta de LED que deixa o ambiente mais acolhedor, sensação reforçada com pela presença dos móveis antigos.

Veja também

“Essa foi a nossa brincadeira. Um equilíbrio entre a leveza da base neutra, a personalidade das peças de acervo dos clientes e pontos específicos de cor”, explica o arquiteto Richard de Mattos.

Continua após a publicidade

Juliano Colodeti, do MCA Estudio/Casa.com.br

No que se refere à decoração, alguns móveis da avó e da mãe da cliente foram aproveitados, como a cômoda e o sofá da sala e o espelho do banheiro. Como o novo quarto ficou estreito, os arquitetos desenharam uma marcenaria modular que “abraça” a cama e otimiza ao máximo a ocupação do espaço.

O cômodo foi delimitado com painéis deslizantes que permitem isolá-lo quando necessário. A madeira pinus foi escolhida para conferir ao projeto um ar jovial, leve e descolado.

Juliano Colodeti, do MCA Estudio/Casa.com.br

O principal desafio do projeto, foi, sem dúvida, a parede curva na sala. “Fizemos um laudo técnico com engenheiro civil e tivemos que usar uma estrutura metálica que nos permitiu desenvolver essa curva”, revela Maria Clara.

Juliano Colodeti, do MCA Estudio/Casa.com.br

Por ter acontecido no início da pandemia, a reforma foi bastante desafiadora. A situação inédita e inesperada exigiu muito jogo de cintura para contornar os desafios impostos pelos prazos, entregas e falta de material.

Juliano Colodeti, do MCA Estudio/Casa.com.br

Os arquitetos tiveram que alterar praticamente todos os revestimentos por conta do prazo, mas, no fim, o resultado ficou mais interessante do que eles tinham imaginado.

Juliano Colodeti, do MCA Estudio/Casa.com.br
Continua após a publicidade

Publicidade