Casa Created with Sketch.

Review: TV The Frame da Samsung é uma obra de arte

Com diferentes molduras ofertadas, suporte no gap e modo arte, a televisão vai além das funções esperadas e se transforma em um quadro

Testamos a televisão The Frame da Samsung

Testamos a televisão The Frame da Samsung (Yara Guerra/Casa.com.br)

Feriadão, friozinho, pipoca e filme: tem combo melhor? Somente se a sessão de cinema for feita com a TV The Frame. A redação do Casa.com.br teve a oportunidade de testar o mais novo produto da Samsung na versão 55″ durante os últimos dias e, aqui, vamos te contar tudo o que achamos.

Super artsy

 

A moldura da The Frame se conecta facilmente à TV

A moldura da The Frame se conecta facilmente à TV (Yara Guerra/Casa.com.br)

Para início de conversa, o nome não é à toa: a The Frame tem como destaque as suas molduras magnetizadas que se encaixam nas bordas da televisão. Isso porque a proposta do modelo é ser personalizável e se somar à decoração da casa, como uma obra de arte.

As molduras, acessórios à parte, vêm em 5 cores, três delas para todas as polegadas (branca, madeira e marrom) e duas apenas para 55″ e 65″ (terracota e branco estilizado), que dão um efeito de perspectiva à TV.

 (Divulgação/Samsung)

Basta aproximá-las perto das bordas para conectar. Para o teste, recebemos a moldura branca, que se encaixou ao dispositivo sem nenhum problema.

Além disso, o design do produto leva o minimalismo a sério: com espessura de 2,5cm, é possível posicionar o dispositivo em um suporte no gap – ou seja, bem rente à parede. Mas, para quem prefere algo mais tradicional, é possível usar o suporte de pés, reguláveis em duas alturas.

 (Divulgação/Samsung)

Na casa desta redatora que vos escreve, já contávamos com um suporte de parede que recebe a TV. Mas, para quem é instalador de TV de primeira viagem, o processo é bem fácil e todo guiado por manuais com imagens e direcionamentos.

Um único fio sai da TV e se liga ao One Connect, que centraliza todos os cabos, deixando o visual geral mais clean e organizado.

Para cumprir o que propõe, um dos grandes diferenciais da The Frame é o modo arte. Com ele, a TV pode exibir obras de arte enquanto estiver em stand by, tornando-se um verdadeiro quadro de pintura/foto. São 20 peças gratuitas para explorar, incluindo artistas como Van Gogh e Claude Monet.

O modo arte permite que o usuário escolha imagens de descanso entre uma vasta curadoria de artistas e museus

O modo arte permite que o usuário escolha imagens de descanso entre uma vasta curadoria de artistas e museus (Yara Guerra/Casa.com.br)

Se o usuário preferir, pode optar por assinar o plano da galeria. Por R$16,00 por mês, é possível ter acesso a mais de 1.200 obras dos principais museus do mundo. Mas você também pode adquirir as gravuras individualmente por R$60,00. A pesquisa das telas é feita a partir do estilo, do autor ou das cores.

Veja também

Sustentabilidade e energia

Casa.com.br, mas a conta de luz está cara, não faz sentido deixar a TV ligada desse jeito”. É verdade, leitor, mas a The Frame no modo arte gasta apenas 30% do total de energia que gastaria se estivesse realmente ligada.

 (Divulgação/Samsung)

“Há também um sensor de movimento. Então se o usuário não quiser deixar a TV em stand by o dia inteiro, não tem problema: é só ativar o sensor que, quando alguém chegar perto, ela vai acender”, explica a gerente de produtos da Samsung, Thais Meglior.

E já que estamos falando de sustentabilidade, é preciso dizer também que o controle da The Frame é o que chamamos de “one of a kind“. Nomeado de Solar Cell, ele é carregado através de energia solar, dispensando pilhas e baterias. E o melhor: se você deixá-lo na sala ou quarto, dificilmente terá que carregá-lo manualmente (através de um cabo USB-C, uma alternativa). As luzes artificiais ou solar já bastam.

O controle remoto da TV The Frame conta com uma placa de energia solar que o recarrega

O controle remoto da TV The Frame conta com uma placa de energia solar que o recarrega (Yara Guerra/Casa.com.br)

Para completar, o controle foi fabricado com 24% de materiais reciclados. Na nossa experiência, às vezes os comandos eram um pouco sensíveis e às vezes apresentavam um delay, mas pode ser algo pontual.

 (Divulgação/Samsung)

Thais explica, porém, que a pegada sustentável começa mesmo antes, ainda na caixa: “você pode escanear o QR code impresso na caixa da The Frame e fazer vários objetos: prateleira de livro, casinha de gato… essa inovação surgiu com esse modelo e foi tão legal que, neste ano, estendemos para todas as linhas”. Ideia interessante para quem ama um DIY como a gente, não é?

Tecniquês

O hub One Connect da TV possui quatro entradas HDMI, duas USB, uma Ethernet, uma entrada AV para antena, uma saída de áudio digital óptica e a conexão para o cabo de energia que vai na tomada. É um deleite para quem adora uma boa organização.

Além disso, a The Frame é compatível com Bluetooth 4.2 e redes Wi-Fi de 2.4 ou 5 GHz. Isso permite o uso de fones de ouvido, caixas de som e outros acessórios que funcionem com algum desses formatos.

 (Divulgação/Samsung)

Quanto à tela, a TV é 4K com tecnologia QLED de pontos quânticos, o que significa que o usuário terá 100% do volume de cor em qualquer conteúdo que assistir. “Além disso, os pontos quânticos permitem que a The Frame tenha um brilho diferente. As QLEDs, que é essa categoria, têm o maior nível de brilho do mercado“, assegura Thais.

Segundo a gerente de produtos, caso o dispositivo sofra burn-in – muito difícil de ocorrer em QLEDs, já que os pontos quânticos não se desgastam com o tempo –, a Samsung garante a troca da TV.

A tela da The Frame tem tecnologia 4K com pontos quânticos

A tela da The Frame tem tecnologia 4K com pontos quânticos (Yara Guerra/Casa.com.br)

A imagem é realmente extraordinária. Durante o período de teste, assisti ao filme da Viúva Negra, que tem efeitos visuais e cores bastante interessantes, e a TV entregou tudo perfeitamente. Em relação ao som, a versão de 55 polegadas da The Frame 2021 possui um sistema de 4 canais e 40 W de potência. Já o software é o Tizen OS atualizado – fácil e intuitivo para navegar.

Todos os streamings estão lá: Netflix, Amazon Prime, Disney+, HBO Max, Apple TV+, Telecine, Globoplay, YouTube, Spotify… e por aí vai. Os mais populares estão também no controle para que o usuário acesse o app direto, sem precisar passar pelo menu.

 (Yara Guerra/Casa.com.br)

A The Frame conta também com o Modo Ambiente na versão 4.0, que exibe algumas imagens mais simples e sem custo adicional. Ela também oferece o Game Bar, com configurações para videogames; comando de voz (Bixby, Alexa ou Google Assistente); espelhamento de celulares; e o modo Multi Tela, que divide a tela em duas do mesmo tamanho ou uma em cima da outra no modo picture-in-picture.

Compro ou não compro?

Vamos falar de valores: o preço oficial sugerido da The Frame 55″ é R$7.499,00, apesar do varejo oferecer preços mais baixos. Certamente há opções de outras linhas mais acessíveis. Mas aqui é preciso pensar na proposta da TV: ser uma peça de decoração.

Segundo Thais, um estudo global da Samsung concluiu que o produto é mais utilizado no modo arte do que como uma televisão de fato – as pessoas chegam a deixar 6 horas por dia com as obras na tela.

Um único fio conecta a TV ao hub One Connect, que centraliza os cabos e conexões

Um único fio conecta a TV ao hub One Connect, que centraliza os cabos e conexões (Yara Guerra/Casa.com.br)

Seja no suporte de pés ou pendurada na parede, ela realmente consegue se passar por um quadro de pintura, trazendo mais elegância à decoração. Quem não achar os televisores particularmente bonitos não terá problema com a The Frame.

“O público alvo para esta TV são pessoas estilosas que gostam de produtos bons e que não abrem mão da tecnologia, mas que também não são aqueles techs quadradinhos e que adoram ter uma televisão diferente. São pessoas de bom gosto e estilosas“, explica a executiva.

 (Yara Guerra/Casa.com.br)

Ainda de acordo com ela, a palavra de ordem é personalização. Então se você é daqueles que cansa muito fácil da mesmice, a The Frame lhe é perfeita. As molduras a tornam quase um camaleão – troque de visual de acordo com seu mood do dia, que tal?

Se esse é o propósito, então se prepare para o valor dos acessórios, que não são baratos – R$500,00 cada um. Mas, se cabe no bolso, então vá em frente: a sua sala de estar ou quarto com certeza se beneficiará de um toque de arte.

 

 

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.