Como decorar espaços integrados? Arquitetas dão dicas

As arquitetas Bianca Tedesco e Viviane Sakumoto, da Tesak Arquitetura, reuniram dicas e inspirações para lares que prezam pela integração e fluidez

Por Redação Atualizado em 28 mar 2022, 22h31 - Publicado em 29 mar 2022, 19h00

 

Apesar de integrados, esta e jantar foram bem delimitados nesse projeto de Bianca Tedesco e Viviane Sakumoto, da Tesak Arquitetura
Projeto da Tesak Arquitetura Luis Gomes/Casa.com.br

Ambientes integrados se mostram como uma das maiores tendências da atualidade – especialmente para quem possui apartamentos pequenos.

“Isso porque uma das maiores vantagens de prezar pela integração é a sensação de amplitude, aliando fluidez e funcionalidade”, destacam Bianca Tedesco e Viviane Sakumoto, sócias do escritório Tesak Arquitetura.

Iluminação, disposição do mobiliário e cores das paredes ajudaram a delimitar os ambientes nesse apartamento integrado, com projeto da Tesak Arquitetura
Projeto da Tesak Arquitetura Luis Gomes/Casa.com.br

Segundo a dupla, ambientes integrados podem ser bastante aconchegantes. “A ausência de paredes prioriza a boa circulação, deixando os ambientes mais amplos e com melhor circulação de ar. Ela também pode aproximar a natureza dos interiores, quando é o caso de uma varanda integrada, por exemplo”, explicam. Independente do tipo de projeto, a integração pode ser total, com a eliminação de todo tipo de paredes, ou parcial.

Sala de estar e cozinha integradas
Reprodução/Casa De Valentina

No segundo caso, divisórias leves e retráteis que permitem abertura ou fechamento conforme a necessidade de uso são as maiores aliadas, assim como portas de correr ou articuladas, painéis vazados ou até mesmo cobogós. “Esses itens permitem privacidade, quando desejado, sem criar uma barreira que pesa no ambiente”, opinam.

Nessa cozinha integrada ao estar projetada pela Tesak Arquitetura, foi a bancada com espaço para banquetas que serviu como setorizador de ambientes
Projeto da Tesak Arquitetura Luis Gomes/Casa.com.br

A escolha de uma integração total ou parcial vai depender do gosto do morador, bem como do tipo de uso do espaço. Integrações totais são mais comuns em ambientes sociais, como salas de estar, jantar, cozinhas e varandas.

Veja também

“A recomendação depende muito do uso do espaço e da quantidade de pessoas que o utilizarão”, reforçam Bianca Tedesco e Viviane Sakumoto. Para isso, é necessário também estudar bem o layout, pois um ambiente integrado e amplo não pode perder a funcionalidade. “Ele precisa garantir uma boa circulação e acomodar bem o mobiliário”, explicam.

Continua após a publicidade

Nessa cozinha integrada ao estar projetada pela Tesak Arquitetura, foi a bancada com espaço para banquetas que serviu como setorizador de ambientes
Projeto da Tesak Arquitetura Luis Gomes/Casa.com.br

Em todo caso, algumas dicas e truques podem ajudar a integrar e, ainda assim, delimitar a função de cada ambiente. “Gostamos de pensar em mini-ambientes dentro de um todo, criando cenas, como um canto para o home theater, outro espaço para o momento de leitura, etc. Para isso, itens como os tapetes são essenciais para delimitar cada espaço”, dizem.

Bar elevado com vista, estilo industrial
Projeto de Hoearquitetura Manuel Sá/Casa.com.br

​​Balcões, divisórias vazadas, portas articuladas ou de correr, tapetes e até mesmo os móveis podem fazer a setorização dos espaços. “Um balcão ou uma mesa, por exemplo, são perfeitos para criar a integração entre estar e cozinha. Essas peças ainda ganham dupla função, podendo ser utilizadas nos momentos dos preparos ou refeições”, dizem as profissionais da Tesak Arquitetura.

Soluções diferenciadas: no primeiro projeto, Bianca Tedesco e Viviane Sakumto usaram a cristaleira como divisória de ambientes. No segundo, foi o passa-pratos que garantiu integração
Projeto da Tesak Arquitetura Luis Gomes/Casa.com.br

Para ambientes com usos muito diferentes, uma marcenaria planejada será necessária para delimitar o espaço, sem o isolar completamente. “Não é tão comum, mas é possível integrar quarto com sala, por exemplo, usando essa técnica”, afirmam.

Soluções diferenciadas: no primeiro projeto, Bianca Tedesco e Viviane Sakumto usaram a cristaleira como divisória de ambientes. No segundo, foi o passa-pratos que garantiu integração
Projeto da Tesak Arquitetura Luis Gomes/Casa.com.br

Por fim, para não errar, Bianca Tedesco e Viviane Sakumoto afirmam que é necessário se lembrar que mesmo ambientes integrados precisam ser setorizados.

Living integrado com cozinha
Produção visual: Estúdio Cabe/Fotógrafa: Raiana Medina/Casa.com.br

“O conceito de integração não significa ‘tudo junto e misturado’. É necessário pensar em uma disposição harmoniosa entre os espaços, que conversam entre si e que possuem suas próprias funcionalidades”, afirmam.

Veja inspirações na galeria abaixo!

Continua após a publicidade

Publicidade