Conheça a arquitetura Tudor Revival da casa de Dita Von Teese

A artista burlesca norte-americana preservou o caráter original de sua residência, mas com toques de sua personalidade

Por Luiza Cesar Atualizado em 26 nov 2021, 17h54 - Publicado em 28 nov 2021, 13h00
Reprodução/Architectural Digest

Há cinco anos atrás, a estrela do burlesco mais famosa do mundo, Dita Von Teese, comprava sua casa em Los Angeles, EUA. Apesar do tempo, ela ainda a considera como um trabalho em andamento.

Mas, para quem está conhecendo a residência agora, isso é imperceptível, afinal, os olhos estarão grudados nos detalhes do estilo Tudor Revival. O espaço de 297 m², com quatro quartos, também tem uma estética punk pinup.

Reprodução/Architectural Digest

Primeira vez lendo sobre Tudor Revival?

Resumindo: Este é um estilo de arquitetura americana inspirado no final do período medieval inglês. Com elementos originais, ele apresenta uma versão da vida no campo, desde casas grandes de pedra senhoriais a casas suburbanas de enxaimel e cabanas com telhado de palha.

“Todas as paredes eram pintadas de branco. E tenho fobia de paredes brancas nas casas. Eu sou maximalista. Minha primeira tarefa foi examinar cômodo por cômodo e adicionar cor e emoção”, explica Dita.

Reprodução/Architectural Digest

A abundância de antiguidades e taxidermia deixa claro a sua adoração pelo passado, que se mostra com sensibilidade e atenção aos detalhes. Quem conhece o seu trabalho não se espanta com a abordagem oposta ao design moderno convencional.

“Gosto de me sentir como se estivesse morando nesta casa de uma maneira muito semelhante a como alguém vivia nos anos 20 ou 30. Fez uma grande diferença para mim quando eu estava comprando a casa que alguém morou por tanto tempo e criou seus filhos aqui”, disse.

Reprodução/Architectural Digest

Sobre as renovações que levou a casa a ter este visual, ela explica que a cozinha não precisou de grandes reformas, um dos motivos por ter selecionado a propriedade – já que gosta dos elementos históricos.

Prontos para conhecer mais sobre esse mundo de Dita Von Teese? Vamos embarcar nos ambientes cheios de cor, acessórios, textura e muitos padrões.

Fachada

 

Continua após a publicidade

A fachada posterior apresenta um amplo terraço coberto por pérgula, localizado do lado de fora da sala de jantar. O local perfeito para refeições ao ar livre. Existe, ainda, outro terraço fora da suíte master. Os degraus, aqui, levam a uma piscina em uma paisagem privada e exuberante.

Para aumentar a segurança, ela construiu um grande muro em volta do perímetro e plantou “as espécies mais perigosas e pontiagudas” que pôde encontrar. Para um toque de fantasia, um “jardim da Branca de Neve”, com pinheiros épicos e toneladas de lágrimas de bebê foi construído junto com um recanto com assentos.

Sala de estar

 

Continua após a publicidade

Reprodução/Architectural Digest

No local onde a artista realiza muitas de suas reuniões, era importante que fosse bonita e funcional. O sofá azul, tapete chinês deco e o fonógrafo, que ainda funciona, são os destaques. Neste cômodo, as taxidermias são antigas. “Eu não tolero caça ou troféus de caça, mas estes são antiguidades”, ela acrescenta.

Entrada

 

Continua após a publicidade

Diversas fotos de castelos e interiores históricos, que não são tocados há anos, fazem parte do seu arquivo de inspiração, que a ajudou no projeto para esta residência.

O mural, originalmente presente em um castelo na França, adiciona um toque gótico assustador. Olhando mais de perto é possível encontrar detalhes fantásticos escondidos no design: como aranhas, cogumelos e cobras. Alguns acessórios, como os abajures em forma de tochas e coleção de pássaros, completam o local.

Veja também

Cozinha

 

Continua após a publicidade

A cozinha era mais um ambiente marrom e Dita imediatamente começou a deixar sua marca por ali. “Eu queria uma cozinha adulta, feminina e sexy. Trouxe todos os meus verdes favoritos – como jade, hortelã e de corrida britânico.”, explicou.

Os planos originais de acessórios de latão deram lugar ao cobre ouro rosa, que dominou tudo, e o capô do fogão foi inspirado em toldos de metal típicos de Los Angeles.

Sala de jantar

 

Continua após a publicidade

Se você se surpreendeu com os outros cômodos, se prepare: a paleta de cores da sala de jantar foi baseada no design do frasco do perfume Lou Lou da marca Cacharel. Junto com a artista decorativa Caroline Lizzaraga, ela transformou completamente o espaço, pintando murais com espelhos embutidos, móveis laqueados, teto, portas e rodapés.

A mesa e as cadeiras são um achado de um brechó. O lustre apresenta um antigo design chinês e uma lâmpada também foi adquirida em um mercado de segunda mão.

Biblioteca

 

Continua após a publicidade

A sala vermelha é a biblioteca de Von Teese. Prateleiras embutidas, projetadas para espelhar os arcos mouros preexistentes, foram adicionadas para abrigar o extenso acervo de livros. Com um ar de museu, grande parte das antiguidades colecionadas pela artista são expostas aqui. O sofá é uma reprodução.

Quarto principal

 

Continua após a publicidade

O quarto principal é inspirado em sereias: “O projeto da cama foi influenciado pela cama Mae West com espelhos. E o cômodo foi inspirado no quarto de Jean Harlow, no filme Dinner at Eight”, expressou.

Para quem não está acostumado com características extravagantes, com cores, texturas e desenhos, pode achar este espaço tão extravagante quanto os outros, mas para Dita, isso é uma versão minimalista. Ela quis sair do visual com tantos tons da casa e ir para um ambiente prateado. Uma pintura dela, por Olivia De Berardinis, está pendurada sobre uma cômoda personalizada.

Closet

 

Continua após a publicidade

Um antigo armário com penteadeira, que fica fora do quarto principal, agora é um local dedicado à maquiagem e cabelo.

E o que antes era o quarto de uma menina, agora é um armário de acessórios. Estantes altas exibem centenas de pares de sapatos de salto alto. Molduras vermelhas na parede posterior abrigam a extensa coleção de broche da estrela.

Piscina

 

Continua após a publicidade

Von Teese decidiu converter a casa da piscina em seu próprio pub. “É outro lugar para eu colocar coisas estúpidas que encontro nos mercados de pulgas. Espadas e escudos e decoração de pub”, confessou para o Architectural Digest.

*Via Architectural Digest

Continua após a publicidade

Publicidade