Casa Created with Sketch.

Casas vitorianas ganham vizinhas “fantasma”

O escritório Fraher & Findlay criou construções "fantasmagóricas" que reinterpretam os elementos vitorianos

Fachada de sobrados em estilo vitoriano brancas

 (Adam Scott/dezeen)

“Casa fantasma” (não caça-fantasma) é o nome deste projeto residencial peculiar em Londres. Não se preocupe, não é nada assombrado! O estúdio Fraher & Findlay substituiu três casas em estilo vitoriano por uma construção contemporânea e de fachada branca. O nome fantasmagórico vem dos conceitos de lembrança e passado, já que a ideia dos profissionais era mudar a forma de pensar a vizinhança e a arquitetura, reinterpretando os detalhes tradicionais.

Detalhe da divisão entre as casas brancas contemporâneas e as construções tradicionais

 (Adam Scott/dezeen)

“Com tantos argumentos e confusão sobre o que seria uma resposta contextual apropriada e como um novo edifício deve refletir seu contexto, queríamos criar um ‘véu’ que não tentasse ser outra coisa”, disse a parceira da Fraher & Findlay, Lizzie Fraher ao Dezeen.

Veja também

Fachada branca revestida de tijolos

 (Adam Scott/dezeen)

A planta das casinhas é difícil: estreita, escura e ineficiente. “Frequentemente, há muito pouca flexibilidade em como concebemos o que é um espaço confortável e ‘habitável’”, disse Fraher. “Queríamos projetar espaços que não tivessem as proporções convencionais que você espera de uma casa”, completa.

Pequeno estar claro com tv e tapete listrado. Escada de madeira com almofadas leva até porta de vidro que dá para o quintal dos fundos

 (Adam Scott/dezeen)

Vários elementos buscam trazer essa sensação de espaço e luz. Cada uma das plantas longas e delgadas é aberta por uma “escada social” no centro, com painéis de carvalho e patamares de metal perfurado para permitir a visibilidade entre os andares.

Living claro com canto alemão e pequena mesa circular branca. Cozinha ao fundo

 (Adam Scott/dezeen)

De frente para a rua fica um espaço confortável e de estudo, enquanto na parte de trás da casa o nível do chão cai para maximizar a altura do teto da cozinha, sala de jantar e sala de estar. Ele volta ao nível do jardim por meio de degraus de madeira que funcionam como assentos informais.

*Via Dezeen

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.