Casa Created with Sketch.

Estúdio de 73 m² tem planta integrada e design moderno

O decorado feito pelo Studio Gabriel Bordin foi pensado para um casal jovem com usos e necessidades diversificadas para o espaço

Sala de estar com piso de madeira,com tapete redondo branco no centro,sob sofá da mesma cor. Ao lado, uma poltrona verde, com uma mesa de janta branca, com detalhes em madeira. no teto, trilho de holofotes e na parede, uma obra de arte abstrata

 (Fabio Júnior Severo/ArchDaily)

O estúdio 1004 foi encomendado pela construtora do empreendimento K-Platz. A planta de 73 m², apenas com banheiros, cozinha e serviço em posições pré-definidas, foi uma tela em branco onde o Studio Gabriel Bordin teve liberdade para explorar a espacialidade e imaginar o perfil dos futuros moradores.

O projeto foi pensado para um casal jovem que demanda um espaço de uso diversificado (descanso, receber amigos e trabalhar), fluido e sem excessos. Com inspiração nos cânones e estética modernista traduzidos às necessidades contemporâneas, o escritório optou por tirar partido da planta livre estabelecendo poucas barreiras físicas na separação de ambientes.

Mesa de jantar com cadeiras de estrutura branca e assento e encosto de madeira. com duas luminárias pendentes e espelho ao fundo

 (Fabio Júnior Severo/ArchDaily)

A área social e a íntima vivem em relação de simbiose. Esta característica é evidenciada em alguns pontos: o primeiro é a grande mesa flutuante em mármore, esta serve ao jantar e ao home office. Ao eliminar a necessidade de dois móveis distintos, ela enfatiza o senso de integração e unidade do estúdio.

Sala de estar com piso de madeira,com tapete redondo branco no centro,sob sofá da mesma cor. Ao lado, uma poltrona verde, com uma mesa de janta branca, com detalhes em madeira. Ao fundo, um jovem rapaz emourra uma porta de correr que separa a área social da área íntima

 (Fabio Júnior Severo/ArchDaily)

Seu desenho leve respeita as características dos ambientes e suas funções específicas. A porta que eventualmente separa o setor social do íntimo, se molda ao desenho da mesa, isolando o quarto e o home office quando os usuários desejarem.

A divisão de setores é demarcada por dois pilares longitudinais no centro, o revestimento em concreto polido enfatiza seu caráter estrutural. Outro recurso de integração que deriva desses elementos é o rack e a tv do estar.

Quarto de casal, com cama baixa, em piso de madeira com tapete. Paredes brancas, com uma porta na cor preta

 (Fabio Júnior Severo/ArchDaily)

Quando a porta de correr está totalmente aberta, a tv, que é sustentada por um braço articulável, rotacional, pode servir ao jantar, home office e quarto. Nessa configuração o rack se torna um móvel de apoio situado entre estar e dormitório.

Closet com portas de correr de vidro, puff em frente à penteadeira e nichos

 (Fabio Júnior Severo/ArchDaily)

O closet construído entre o dormitório e o banheiro se abriga entre as poucas paredes erguidas nesta intervenção.

Veja também

As outras foram: a parede do lavabo junto à porta de acesso, alongada a fim de criar um pequeno hall de entrada, assim como a parede da lavanderia que se estende até o início da cozinha para ocultar o maquinário sem a necessidade de uma porta, conservando o fluxo livre entre os dois ambientes.

Lavabo, com paredes cinzas e vaso branco. A cuba é feita em pedra com detalhes

 (Fabio Júnior Severo/ArchDaily)

As superfícies claras das paredes em ‘Branco Cru’ e cortinas de linho soltam as áreas de lazer e descanso do apartamento. O estar nasce da ‘Manta Abstrata Vermelha’ (Estúdio DaDA) que empresta suas formas e cores ao espaço, além de se tornar um ponto focal que pode ser visto de quase todos os ambientes.

Sala de estar com piso de madeira e tapete redondo branco. O sofá, na mesma cor, é curvo e acompanha o movimento do tapete

 (Fabio Júnior Severo/ArchDaily)

O sofá curvo, tapete redondo, a icônica poltrona Womb em roupagem ‘verde floresta’ e a orgânica mesa de centro despojam as linhas retas da construção. As funcionalidades ficam nos perímetros e se distinguem pela tonalidade cinza chumbo dos móveis planejados e parede – uma forma de delimitar espaço sem barreiras físicas.

Cozinha com armários pretos e espelhados

 (Fabio Júnior Severo/ArchDaily)

A cozinha divide a parede de fundo com a sala de estar, seu monobloco cinza a separa visualmente num jogo de luz e sombra. O carro-bar em serralheria, em sua extensão, abriga a área de cocção de forma mais solta.

Sala de estar com piso de madeira,com tapete redondo branco no centro,sob sofá da mesma cor. Ao lado, uma poltrona verde, com uma mesa de janta branca, com detalhes em madeira. Ao fundo, a porta de correr aberta mostra as áreas social e íntima integradas

 (Fabio Júnior Severo/ArchDaily)

O resultado é um estúdio minimalista, que para além de modismo, proporciona espaços funcionais aliados à uma decoração de personalidade e afetiva, onde os objetos e mobília são escolhidos com mais cuidado, com ênfase para sua qualidade, durabilidade, história e significado.

Veja todas as fotos do projeto na galeria.

*Via Archdaily

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.