Casa de 200m² moderniza ambientes mantendo histórias dos moradores

Arquiteta Andrea Camillo revela como realizar mudanças, agregar novos ares e equilibrar o original com o novo, sem abrir mão das memórias afetivas

Por Redação Atualizado em 16 fev 2022, 16h01 - Publicado em 17 fev 2022, 13h00
Mantendo peças adquiridas pelos clientes durante os mais de 30 anos vivendo no imóvel, a arquiteta Andrea Camillo manteve móveis, como a cristaleira antiga, e promoveu repaginações, como as ripas de madeira, colocadas uma a uma para revestir a parede curva em um visual mais contemporâneo JP Image/Casa.com.br

Reformar um apartamento habitado é uma tarefa a ser muito bem planejada, ainda mais quando o pedido do cliente é por manter a história construída por décadas, equilibrando o original com o novo. Foi com essa premissa que a arquiteta Andrea Camillo atuou no projeto de revitalização de um imóvel com 200 m².

Localizado no bairro da Granja Julieta, zona Sul de São Paulo, ela foi responsável por conceder um toque de contemporaneidade, mesclado com um acervo que revela a história dos moradores que estão por lá há mais de 30 anos.

Nesse projeto, principalmente no ambiente da sala, é evidente a mescla entre o antigo e o novo. O primeiro, representado principalmente pelo quadro e cristaleira e o segundo, pela mobília JP Image/Casa.com.br

Para a execução, o casal reforçou o pedido por manter alguns itens já presentes no antigo décor e no mobiliário. “E com o benefício de viverem em ambientes amplos, como as plantas dos prédios construídos na época, ambos reforçaram o desejo de proporcionar um clima aconchegante e espaçoso para receberem a família”, relembra a profissional.

Mas como trabalhar esse equilíbrio entre os tempos no projeto de arquitetura de interiores e zelar para não desfazer a identidade e a relação longínqua que moradores construíram com o imóvel? A arquiteta realça que a sutileza e a sensibilidade no entendimento daquilo que é importante para as pessoas deram a tônica para essa realização. Acompanhe os passos seguidos por ela:

Exemplos de como equilibrar o original e o novo

 

Os móveis planejados sofreram uma mudança abrupta: o antigo rack em madeira escura abriu espaço para uma marcenaria mais clara, que agregou uma atmosfera clean ao cantinho da sala. Junto com a mudança, a arquiteta preservou os quadros originais dos moradores JP Image/Casa.com.br

De forma geral, a estrutura do apartamento foi mantida, assim como algumas peças de decoração que carregam significado para o casal. Para alcançar o propósito de creditar uma nova atmosfera, Andrea apostou na utilização de uma nova paleta de cores e na inserção de elementos que incorporaram um viés de modernidade.

Veja também

A cristaleira e os quadros eram de muita afetividade para os seus moradores. Esses foram apenas alguns dos itens mantidos para preservar a história do casal. Tanto o móvel em ipê, como o piso de madeira, ainda em sua versão original, foram clareados e ganharam nova vida, contribuindo com a harmonização, fluidez e textura da área social.

JP Image/Casa.com.br

Nessa integração entre sala de estar e jantar, a arquiteta aproveitou a sinuosidade da parede curva para propor um ripado em laca off white, colocado um a um para garantir o visual. Para substituir a antiga moldura de gesso no teto, a restauração se deu por meio da instalação de uma sanca invertida com iluminação.

Continua após a publicidade

“Aos poucos, novo visual à decoração original. As novas cadeiras e mesa de jantar adicionam um ar contemporâneo, enquanto os quadros e os itens de madeira que foram mantidos, revelam um aconchego típico de casa de vó”, afirma Andrea.

No novo layout da área social, o reposicionamento do mobiliário também foi implementado, como o caso da cristaleira, um item já mencionado por conta de suas memórias. Anteriormente colocada em um vão da sala de jantar, hoje ela acompanha as curvas da parede, contribuindo com a percepção de amplitude do cômodo.

Comparando o antes e depois, o amadeirado escurecido, que pesava na aparência do ambiente, foi renovado com a leveza da tonalidade de cinza claro. “O rústico abre alas ao clean. Delicadeza e história são palavras que definem o projeto e assim podemos dizer que o décor do apartamento transitou do clássico para assumir um caráter contemporâneo”, contextualiza a arquiteta.

Para receber os convidados

 

A área do bar é versátil e serve tanto para receber os amigos, quanto para as refeições cotidianas. Aqui, Andrea Camillo modernizou o ambiente por meio da nova iluminação e mobília JP Image/Casa.com.br

Com a satisfação do bem receber, a área social tornou-se ainda mais gostosa com a área do bar, que foi produzida com uma constituição de marcenaria em ‘L’ acompanhada por uma bancada.

A arquiteta explica que não foi preciso promover mudanças de localização, mas que seu trabalho foi focado em introduzir modificações como a paginação em chevron dos armários, que agregou um movimento interessante, e a iluminação em LED no vão onde está presente o barzinho com as bebidas destiladas

JP Image/Casa.com.br

A bancada em frente ao bar é multifuncional e foi planejada para dispor as bebidas e confraternizar com os amigos em um bate-papo descontraído, mas também pode ser apoio para refeições cotidianas. “A riqueza dos detalhes na composição de um lar repaginado é essencial. Com a personalidade dos moradores, eles trazem acolhimento para os momentos especiais”, reafirma Andrea.

Vida de avós

 

Na reforma, a arquiteta Andrea Camillo incorporou um quartinho para as netas dos moradores JP Image/Casa.com.br

O clima de casa dos avós é outro ponto muito presente no apartamento. Depois de cuidar dos filhos, chegou a vez dos moradores desfrutarem da alegria de receber as netas para dormirem em casa! Super jovial, as cores claras estão presentes em uma variação de tons de rosa no enxoval da bicama e uma marcenaria que recebe os brinquedos e uma escrivaninha para as tarefas escolares.

Continua após a publicidade

Publicidade