Casa Created with Sketch.

Com esta casinha de abelhas, você pode coletar seu próprio mel

A invenção criada por Stuart e Cedro Anderson é ecologicamente correta e sustentável, além de preservar a integridade das abelhas

 (Reprodução/Designboom)

Criada pela dupla de pai e filho Stuart e Cedro Anderson, a “Flow Hive” é uma colmeia inovadora que permite colher mel direto da fonte, sem perturbar as abelhas.

Originalmente lançada em 2015, a empresa conquistou mais de 75.000 clientes em todo o mundo com a missão de impulsionar o abastecimento sustentável de madeira e algodão, impacto social e uma pegada ambiental reduzida.

À venda há alguns anos, o pacote para iniciantes custa pouco mais de US$ 800 (aproximadamente R$ 4.400) inclui a colmeia com alguns acessórios e pode coletar até 21 kg de mel por ano.

 (Reprodução/Designboom)

O único porém é que colmeia terá que ser povoada por um enxame que pode ser comprado de especialistas. Como alternativa, os usuários podem esperar pacientemente que uma rainha fixe residência na colmeia – mas isso nunca é uma garantia.

A apicultura tradicional é confusa e cara. Ela requer que você compre ferramentas de processamento caras e espirre mel por todos os lugares. Além disso, algumas abelhas também podem morrer no processo. Com a “Flow Hive”, os Andersons construíram um atalho inovador para todos esses obstáculos.

 (Reprodução/Designboom)

“Agora você pode simplesmente acionar uma torneira, sentar e desfrutar com seus amigos e familiares enquanto observa o mel derramar diretamente de sua colmeia para o frasco”, diz o cofundador Cedar Anderson.

“É mel puro e cru que não precisa de processamento adicional. Não há bagunça, sem confusão e você não precisa comprar nenhum desses equipamentos de processamento caros. E o mais importante, a ‘Flow Hive’ é gentil com as abelhas”, completa.

Ok, mas como funciona?

 

 (Reprodução/Designboom)

O mecanismo por trás da colmeia é impulsionado por uma tecnologia patenteada de células divididas. Matrizes de favo de mel parcialmente formadas, chamadas de “estruturas de fluxo”, são colocadas na colmeia onde as abelhas começarão a revesti-las com cera para completar a matriz. Uma vez concluídos os favos, as abelhas passam a encher as células com mel.

O mel fica pronto para ser extraído quando as estruturas de fluxo estão cheias. Nesse ponto, os apicultores podem simplesmente girar uma chave para formar canais dentro da colmeia, permitindo que o líquido dourado flua diretamente de uma torneira para um recipiente.

Veja também

Durante todo o tempo, as abelhas seguem fazendo seu trabalho sem serem perturbadas. Para zerar as estruturas de fluxo, o usuário volta a colocar a chave na posição inicial, enquanto as abelhas eliminam a capa de cera e reiniciam o processo.

Outra vantagem é a ausência de processamento industrial do mel. Desta forma, é possível sentir claramente as variações sutis do sabor e cor e do líquido extraído ao longo das estações. “Os sabores distintos em cada frasco de mel colhido da ‘Flow Hive’ refletirão a localização específica e sazonalidade do fluxo de néctar do ambiente”, diz a equipe por trás da obra.

Manufatura sustentável e impacto social

Ao produzir as colmeias, os Andersons seguem um processo de fabricação sustentável e ecologicamente correto. Isso inclui uma política de abastecimento de madeira ética, uso de algodão orgânico (livre de pesticidas, produtos químicos e fertilizantes sintéticos) e embalagens 100% recicladas ou certificadas pelo FSC.

Além disso, a empresa espera inspirar e ajudar a aumentar a comunidade de polinizadores em todo o mundo por meio de seus programas de apoio a escolas, organizações e instituições de caridade, universidades e clubes de apicultura.

“A Flow é mais do que colher mel de maneira suave – nosso objetivo é criar uma comunidade, educar sobre a importância das abelhas e capacitar os apicultores. As abelhas são pequenas campeãs ambientais e nós nos esforçamos para seguir seus passos, fazendo negócios de forma regenerativa, ética e sustentável”, explicam os fundadores.

*Via Designbooom

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.