CBA lança nova linha Primora de esquadrias de alumínio

Pensada para projetos de médio e alto padrão, a novidade é uma parceria com a empresa Roto & Fermax

Por Yara Guerra Atualizado em 2 mar 2022, 20h10 - Publicado em 17 fev 2022, 12h00
A linha Primora atuará em duas frentes: Primora Sistemas e Primora Building System
A linha Primora atuará em duas frentes: Primora Sistemas e Primora Building System Paulo Vitale/ CBA/Arquitetura e Construção

Em qualquer projeto, a definição das esquadrias será um dos primeiros pontos a ser discutido. Responsáveis por até 20% do valor da obra, as peças demandam uma escolha certeira quanto ao modelo, de acordo com as suas qualidades técnicas, durabilidade e custo-benefício.

Apesar da vasta oferta de materiais no mercado, as esquadrias de alumínio permanecem sendo as mais procuradas devido às suas vantagens de básica manutenção, diferentes acabamentos e cores, possibilidade de confecção sob medida, isolamento térmico e acústico e utilização de perfis maiores com vidros duplos ou triplos.

A Companhia Brasileira de Alumínio (CBAV3) compreendeu a demanda e lança agora a sua linha Primora de esquadrias de alumínio, indicadas para janelas, portas e fachadas, com foco em projetos de médio e alto padrão.

A novidade é uma parceria com a Roto & Fermax, empresa alemã de componentes para portas e janelas, a CBA colocará no mercado brasileiro soluções completas para o segmento.

Uma das vantagens da linha Primora é o fato da CBA ter total controle de toda a cadeia produtiva, desde a mineração até a transformação em alumínio primário e produtos transformados.
Uma das vantagens da linha Primora é o fato da CBA ter total controle de toda a cadeia produtiva, desde a mineração até a transformação em alumínio primário e produtos transformados. Paulo Vitale/ CBA/Arquitetura e Construção

Após dois anos de pesquisa comandada por um grupo de trabalho multidisciplinar que envolveu aquisição de ferramentas tecnológicas para concepção de design, a nova linha atuará em duas frentes. A Primora Sistemas terá como foco projetos de médio padrão, principalmente para atender demandas de serralheiros e sistemistas. Já a Primora Building System será voltada para obras de alto padrão, com projetos arquitetônicos feitos sob demanda, conforme a necessidade do cliente final.

Na avaliação de Fernando Varella, Diretor do Negócio de Produtos Transformados da CBA, uma das maiores vantagens da linha Primora é o fato da Companhia ter total controle de toda a cadeia produtiva, desde a mineração até a transformação em alumínio primário e produtos transformados.

Veja também

“Dessa maneira, garantimos a disponibilidade de produtos e conseguimos cumprir prazos mais curtos com produtos de qualidade e com o desenvolvimento de soluções através de nossa equipe e desenvolvimento próprio das ferramentas. Além disso, temos dentro de casa o nosso próprio centro de pintura, anodização e acabamento, seis prensas e a capacidade de extrusão, que chega a 55 ktpa (quilo toneladas ao ano)”, explica.

Continua após a publicidade

A CBA se compromete com com a responsabilidade ambiental e social e recentemente recebeu uma certificação do Programa de Mudanças Climáticas do CDP, um dos principais ratings de sustentabilidade do mundo.
A CBA se compromete com com a responsabilidade ambiental e social e recentemente recebeu uma certificação do Programa de Mudanças Climáticas do CDP, um dos principais ratings de sustentabilidade do mundo. Shutterstock/Reprodução/Arquitetura e Construção

Varella também destaca a garantia de que o cliente estará adquirindo produtos de uma empresa ética, com responsabilidade ambiental e social. Este caráter é assegurado por certificações, como a que a CBA recentemente recebeu do Programa de Mudanças Climáticas do CDP – um dos principais ratings de sustentabilidade do mundo e um dos mais conceituados sobre mudanças climáticas.

A Companhia também é signatária de acordos pelo clima, como a Science Based Targets, iniciativa conjunta do Pacto Global; o Acordo Ambiental São Paulo e ainda o Task Force on Climate-Related Financial Disclosures (TCFD), uma força-tarefa que reúne empresas do mundo todo com o objetivo de desenvolver um padrão comum para avaliação, medição e divulgação de riscos financeiros relacionados às mudanças climáticas.

“Tudo isso, reafirma nosso empenho em produzir alumínio com uma pegada de carbono cada vez menor”, diz o diretor. A CBA já produz alumínio de baixo carbono e tem como objetivo reduzir 40% da sua emissão de gases do efeito estufa até 2030 nos processos desde a mineração até a etapa de fusão.

Construções sustentáveis

 

A nova linha Primora é indicada para empreendimentos residenciais e comerciais populares, de médio e alto padrão. “Nossos produtos atendem plenamente as normas técnicas que regulam o segmento e também somos associados ao Programa Setorial da Qualidade das Esquadrias de Alumínio (PSQ), gerido pela Associação Nacional de Fabricantes de Esquadrias de Alumínio (AFEAL) e Associação Brasileira de Alumínio (ABAL)”, explica Varella.

A CBA busca, em breve, obter Certificado LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), e reafirmar o seu compromisso com a construção sustentável.
A CBA busca, em breve, obter Certificado LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), e reafirmar o seu compromisso com a construção sustentável. Shutterstock/Reprodução/Arquitetura e Construção

O diretor da CBA afirma que é justamente isso que o setor de construção civil tem buscado cada vez mais: fornecedores e parceiros que possam contribuir para a obtenção do Certificado LEED (Leadership in Energy and Environmental Design), ferramenta que incentiva a adoção de práticas de construção sustentável.

Este sistema promove uma abordagem ao edifício por inteiro, desde a concepção do projeto até a construção final e a manutenção do empreendimento.

Continua após a publicidade

Publicidade