O guia para a arquitetura das Olimpíadas de Inverno de Pequim

Conheça os prédios mais icônicos da cidade que sediarão os jogos olímpicos de inverno, alguns deles reaproveitados das Olimpíadas de Verão

Por Redação Atualizado em 27 fev 2022, 00h15 - Publicado em 16 fev 2022, 19h00
Jogos Olímpicos de Inverno 2022/Reprodução

Os Jogos Olímpicos de Inverno de 2022, que estão acontecendo em Pequim, estão programados para encerrar no dia 20 de fevereiro. Mas ainda há tempo para reunir aqui os locais de maior importância arquitetônica na cidade para você visitar em sua próxima viagem, incluindo um novo estádio da Populous e a primeira estrutura permanente do mundo para saltos extremos na neve.

A maioria dos locais para os Jogos de Inverno não são novos, com alguns construídos como locais para os Jogos Olímpicos de Verão de Pequim 2008, já que a cidade se torna a primeira a sediar as duas edições da competição.

O mais famoso deles é o Estádio Nacional de Pequim, também conhecido como Ninho de Pássaro, projetado pelo estúdio de arquitetura suíço Herzog & de Meuron. Esse sistema de reutilização de estádios segue o precedente estabelecido pelos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 e foi apontado pelo comitê organizador como uma abordagem mais sustentável.

No entanto, algumas novas estruturas notáveis ​​também estarão em exibição. Confira:

Estádio Nacional de Pequim, por Herzog & de Meuron (2007)

 

Jogos Olímpicos de Inverno 2022/Reprodução

Mais conhecido como Ninho de Pássaro, este estádio projetado por Herzog & de Meuron é facilmente reconhecível como o principal local das Olimpíadas de Pequim 2008, graças ao seu envelope de treliça de aço.

Nenhuma competição esportiva acontecerá aqui nesta edição das Olimpíadas, mas o estádio de 80.000 lugares, para o qual o aclamado artista chinês Ai Weiwei foi consultor de design, repetirá seu papel como anfitrião das cerimônias de abertura e encerramento dos próximos jogos de inverno.

Centro Aquático Nacional de Pequim, por PTW Architects (2007)

 

Jogos Olímpicos de Inverno 2022/Reprodução

Projetado por um consórcio que inclui o estúdio australiano PTW Architects e apelidado de Cubo de Água, o Centro Aquático Nacional é outro local dos Jogos Olímpicos de 2008 sendo reaproveitado para os Jogos Olímpicos de Inverno.

Os organizadores dizem que foi transformado em um Cubo de Gelo com a adição de equipamentos de fabricação de gelo e controle climático. Em vez de sediar natação e mergulho, desta vez funcionará como uma pista de curling.

Oval Nacional de Patinação de Velocidade, por Populous (2021)

 

Jogos Olímpicos de Inverno 2022/Reprodução

Projetado pelo estúdio de arquitetura especializado em estádios Populous, o Oval Nacional de Patinação de Velocidade é o único novo local construído no Parque Olímpico de Pequim para os Jogos de Inverno de 2022, tendo sido construído no local dos campos de hóquei e tiro com arco usados ​​em 2008.

Foi apelidado de Fita de Gelo em referência aos 22 fios de luz que cercam o estádio, com o Populous prometendo que os 12.000 espectadores ouvirão “todos os sons dos patins no gelo” ao redor da pista de corrida de 400 metros.

Estádio Nacional Indoor de Pequim, por Glöckner Architekten GmbH (2007)

 

Arne Müseler/CC-BY-SA-3.0/Wikimedia Commons

Outro legado de 2008 com um apelido brincalhão – neste caso O Leque, devido à sua semelhança com um leque tradicional chinês –, o Estádio Nacional Indoor vai trocar a ginástica rítmica, trampolim e handebol pelo hóquei no gelo em Pequim 2022. A arena de 20.000 lugares foi projetada pela empresa alemã Glöckner Architekten GmbH.

Veja também

Wukesong Sports Center, por David Manica e o Instituto de Design Arquitetônico de Pequim (2008)

 

N509FZ/CC BY-SA 4.0/Wikimedia Commons
Continua após a publicidade

O Centro Esportivo Wukesong, oficialmente conhecido como Centro Cadillac, sediou o torneio de basquete nos Jogos de Verão de 2008 e desde então se tornou uma das principais arenas multiuso de Pequim.

Ele dividirá a responsabilidade de sediar o hóquei no gelo nas próximas Olimpíadas com o National Indoor Stadium, fazendo uso de uma pista de gelo que pode ser convertida em quadra de basquete em menos de seis horas, instalada em 2015 como parte de uma reforma realizada pelo Populous.

Fitas douradas de alumínio perfurado envolvem o edifício, projetado por David Manica quando trabalhava para a HOK Sport – agora Populous – em associação com o Instituto de Design Arquitetônico de Pequim.

Big Air Shougang, por TeamMinus (2019)

 

Jogos Olímpicos de Inverno 2022/Reprodução

Talvez a estrutura mais atraente a aparecer nesta lista, o Big Air Shougang está entre o pequeno número de novos locais construídos para Pequim 2022, onde sediará os eventos de salto extremo de esqui e snowboard “big air”. Segundo os organizadores dos Jogos, é a primeira grande estrutura aérea permanente do mundo.

O local foi projetado pelo TeamMinus, um estúdio liderado pelo professor Zhang Li, que também dirige o Instituto de Pesquisa e Design Arquitetônico da Universidade de Tsinghua.

Revestido com painéis de alumínio perfurado coloridos, foi construído no local de uma das maiores antigas siderúrgicas de Pequim, com as quatro torres de resfriamento industrial da planta ainda vigiando.

Capital Indoor Stadium, por Ming Xiong (1968)

 

Jogos Olímpicos de Inverno 2022/Reprodução

Construído em 1968, o Capital Indoor Stadium sediou partidas de tênis de mesa em 1971 como parte do programa de diplomacia de pingue-pongue creditado com o descongelamento das relações entre os EUA e a China durante a Guerra Fria.

A arena foi reformada antes das Olimpíadas de 2008, onde sediou o torneio de vôlei, e sediará as competições de patinação artística e patinação de velocidade em pista curta.

Centro Nacional de Deslizamento, por Atelier Li Xinggang (2021)

 

Jogos Olímpicos de Inverno 2022/Reprodução

Esta pista deslizante de 1.975 metros de comprimento, na Zona Olímpica de Inverno de Yanqing, 75 quilômetros ao norte de Pequim, é caracterizada por um telhado de madeira em toda a sua extensão e sediará os eventos de bobsleigh, esqueleto e luge nos Jogos de fevereiro.

O primeiro centro deslizante da China e apenas o terceiro a ser construído na Ásia, foi projetado pelo estúdio do arquiteto Li Xinggang dentro do China Architecture Design & Research Group, que também projetou a Vila Olímpica de Yangqing e o Centro Nacional de Esqui Alpino.

Centro Nacional de Saltos de Esqui, por TeamMinus (2020)

 

Jogos Olímpicos de Inverno 2022/Reprodução

Outro novo local para Pequim 2022 projetado pela TeamMinus, o Centro Nacional de Saltos de Esqui foi apelidado de Snow Ruyi por causa de sua semelhança com um ruyi, um talismã de cetro chinês tradicional associado ao poder e boa sorte.

No topo da encosta há uma plataforma circular de 40 metros de altura que contém um restaurante panorâmico, com uma torre de juízes na metade e um estádio na parte inferior.

O centro sediará o salto de esqui e eventos combinados nórdicos nos Jogos Olímpicos de Inverno deste ano, antes de se tornar um centro de treinamento para atletas chineses e resort turístico. Ele está localizado na zona de Zhangjiakou dos Jogos, em um popular destino de esqui a 180 quilômetros a noroeste de Pequim, para o qual os visitantes serão transportados por uma ferrovia intermunicipal recém-construída.

*Via Dezeen

Continua após a publicidade

Publicidade