Buffets da sala de jantar: dicas de como escolher

Entenda como selecionar o modelo e combinar com o restante da decoração

Por Redação Atualizado em 28 mar 2022, 22h51 - Publicado em 29 mar 2022, 19h00
Em cima da prateleira amadeirada, que acompanha uma das paredes, de fora a fora, o buffet branco foi apoiado
Projeto: escritório Macedo e Covolo Eduardo Pozella/Casa.com.br

O que deve compor um ambiente? Para iniciar o planejamento de um novo cômodo, acredita-se ser fundamental entender a finalidade de cada peça que estará presente e adquirir as que mais atendem as características do local e necessidades dos moradores.

E, na sala de jantar, a história não é diferente. Na hora de inserir o buffet, que aparece na maioria desses espaços, muitas dúvidas acabam surgindo. Por isso, a arquiteta Giselle Macedo e a designer de interiores Patrícia Covolo esclarecem a sua finalidade, os pontos a serem observados antes da compra e inspirações com projetos realizados por elas. Confira:

Buffet colorido em sala de jantar toda em madeira
Reprodução/Pinterest

Para que serve o buffet?

Os principais motivos para a presença do buffet na sala de jantar se resumem na combinação entre utilidade e versatilidade. Isso porque seu visual usualmente comprido e retangular possui espaço de armazenamento para louças, travessas, jogos americanos, faqueiros, taças, entre outros itens empregados em diversas ocasiões, além de receber decorações em sua base e dar suporte aos moradores durante as refeições.

Sala de jantar com buffet em madeira e portas brancas
Reprodução/Pinterest

Mas, pasmem, o seu uso não se limita a isso: indo além do jantar, o buffet pode ser considerado como um elemento em salas de televisão ou escritórios, para o apoio de aparelhos eletrônicos, ou até mesmo no espaço gourmet da varanda ou integrando o paisagismo.

Mostrando ser um móvel “coringa” na composição de ambientes, ele também pode ser usado para delimitar cômodos em livings muito amplos e integrados.

Nesse buffet em madeira Nogueira, um mix entre portas, gavetas e uma grande extensão de tampo, que permite a exposição de taças e outros objetos decorativos
Projeto: escritório Macedo e Covolo Eduardo Pozella/Casa.com.br

Buffet x aparador 

É muito comum acontecer uma pequena confusão entre os dois móveis. Embora semelhantes em sua estética, a principal diferença está pautada na sua estrutura.

Veja também

Sala de jantar com buffer com detalhes ripados

De acordo com a designer Patrícia, o buffet é caracterizado por ser um móvel com porta e gavetas com profundidade para armazenamento, enquanto o aparador, além do tampo e as pernas laterais, apresentam, no máximo, duas prateleiras.

Sendo assim, a funcionalidade do aparador se limita apenas ao apoio de objetos, ao invés de guardá-los. O tornando perfeito para a entrada da residência, onde o morador poderá guardar as chaves, correspondências e exibir o que quiser.

5 dicas para a escolha de um buffet:

1. Faça um levantamento dos itens que serão guardados nele

Buffet em madeira do mesmo tom do armário e mesa de jantar

Continua após a publicidade

A premissa é sempre atender o acervo dos moradores: “o primeiro passo é fazer uma lista com os itens que o morador deseja acondicionar no móvel. Apenas com essa visão é que podemos determinar as dimensões da peça – como altura das prateleiras e a quantidade de gavetas”, explica a designer de interiores.

Afinal, a disposição adequada e equilibrada facilita o acesso ao conteúdo e a realização da limpeza. As gavetas e nichos, entre outras divisórias, juntamente com as portas do móvel, ajudam a diminuir o acúmulo de pó.

2. Medir o que será guardado

O buffet suspenso assumiu o protagonismo em função da sua cor azul em laca
Projeto: escritório Macedo e Covolo Eduardo Pozella/Casa.com.br

Outro detalhe tão importante quanto saber o que será armazenado, é conhecer as medidas de cada item. O buffet ideal é aquele que comporta o conteúdo com conforto e segurança.

E isso é essencial ao acomodar as taças, pois como possuem diferentes alturas, o espaço pode ficar menor. Neste caso, as profissionais sempre indicam uma marcenaria personalizada, porque o tamanho padrão pode não corresponder às necessidades da casa.

3. Escolher o local da casa e comparar as medidas 

Buffet em parede com obra de arte e espelhos

Só depois de bater o martelo sobre a localização do móvel é que o projeto de décor passa a considerar as medidas. Essa definição vem acompanhada também dos requisitos de circulação – a peça não pode atrapalhar o fluxo do cômodo, tão pouco a passagem quando portas e gavetas forem abertas.

4. Separe sempre uma gaveta para faqueiros 

Buffet em madeira com topo branco

O buffet pode ser o mobiliário ideal para guardar aquele conjunto de talheres especial! A arquiteta Giselle Macedo sugere, por exemplo, a execução de uma parte sob medida e em veludo, pois além da elegância, contribui para a conservação.

5. Combine com a decoração

O buffet foi escolhido como uma peça leve para guardar as louças da moradora. Seu acabamento em madeira forma o equilíbrio perfeito entre a decoração e a paleta de cores do ambiente
Projeto: escritório Macedo e Covolo Eduardo Pozella/Casa.com.br

Mesmo que hoje em dia a mistura de estilos na decoração seja uma realidade e torne o ambiente moderno, é valioso tomar cuidado com exageros. O móvel deve ser útil para o dia a dia e organização e, ainda, fazer parte da decoração.

Para o resultado perfeito, procure combinar a peça com a mesa de jantar, mas os dois não precisam ter a mesma cor ou acabamento – apenas tenha em mente que o cenário precisa ser harmonioso.

Este buffet em madeira Nogueira acompanha a parede espelhada e é ladeado por vasos cerâmicos com lanças de São Jorge. Além de sua função de guardar louças, revela um décor de personalidade na sala de jantar dos moradores
Projeto: escritório Macedo e Covolo Eduardo Pozella/Casa.com.br

Manutenção

Não se esqueça de considerar o tipo de material empregado, seguir recomendações de limpeza específicas e não sobrecarregar. “Não coloque muito peso nas prateleiras é uma das formas de garantir um bom uso e uma longa vida aos buffets. Também nos preocupamos em proteger o tampo para que o contato com pratos quentes e frios não danifique a madeira”, conclui Giselle.

Continua após a publicidade

Publicidade