Como aproveitar móveis usados em uma nova decoração

A arquiteta Carina Dal Fabbro defende que não é necessária a aquisição de móveis novos em um novo design, e dá dicas de como reaproveitar o acervo antigo

Por Redação Atualizado em 8 jun 2022, 13h33 - Publicado em 8 jun 2022, 19h00
Sala de estar com pé direito alto, cimento queimado na parede, sofá branco e poltronas rosas
Projeto de Dirani & Marchió Eder Bruscagin/Casa.com.br

De tempos em tempos, mudanças são necessárias. Tanto em nossa vida pessoal, quanto em nosso entorno. Uma nova decoração residencial pode trazer a sensação de renovação, mas nem sempre isso é possível diante das demandas materiais e financeiras que uma reforma exige. 

Como solução, alguns arquitetos defendem a reutilização de móveis ao invés da aquisição de modelos novos. A arquiteta Carina Dal Fabbro faz parte desse grupo de especialistas que gostam de reinventar antigos mobiliários, aproveitando o máximo das peças.

Sala pequena com sofá azul virado para um grande quadro com diferentes tons de azul, janela na lateral esquerda e paredes brancas.
Projeto de Carina Dal Fabbro. Olhando a sala de tv por outro ângulo, é possível perceber a integração total dos ambientes. Para setorizar os espaços e oferecer cor para a sala de estar, a arquiteta empregou um par de poltronas azuis. Ao lado, uma mesinha, que já está na família há alguns anos, funciona super bem para complementar o décor, assim como prover apoio para os controles da TV e do ar-condicionado. Rafael Renzo/Casa.com.br

Seja para gastar menos na reforma ou manter por perto aquele móvel que está na família há anos e é repleto de memórias afetivas ou por uma questão ambiental, a reutilização pode ser um grande desafio para os próprios moradores e até mesmo para profissionais de arquitetura de interiores. 

Quarto com divisória de vidro e metal, com vista para sala de estar.
Estúdio da Mulher Contemporânea – Assinado por Marcela Pepe. Evelyn Müller/CASACOR

Mudar a peça de ambiente, pintá-la com uma nova cor ou mudar sua função no espaço são algumas possibilidades para trazer o frescor do novo para a casa.

Ampla sala integrada com sala de jantar, um grande aparador branco e uma cristaleira de madeira.
Nesse projeto, principalmente no ambiente da sala, é evidente a mescla entre o antigo e o novo. O primeiro, representado principalmente pelo quadro e cristaleira e o segundo, pela mobília. Projeto é assinado pela arquiteta Andrea Camillo. JP Image/Casa.com.br

“É possível promover combinações muito interessantes entre móveis novos e antigos. Por meio de uma curadoria única, conseguimos aliar a história dos moradores com aquele móvel, adicionando a beleza e funcionalidade ao décor”, conta.

Pensando em quem busca dicas sobre o assunto, a arquiteta apresenta um projeto que mistura de mobílias repletas de histórias e valoriza as peças de família.

Invista em peças de qualidade

Quarto com porta rosa, plantas penduradas e vista para closet.
O projeto é do Studio 92 Arquitetura. Mariana Orsi/Casa.com.br

Seja para um antigo móvel, pessoal ou adquirido em brechó de móveis, a premissa é a mesma: eles precisam estar em bom estado para integrar o novo décor. “Antes de reutilizar, é preciso fazer compras acertadas. Por isso, sempre invisto em móveis com um design atemporal e com uma excelente qualidade. Desta forma, o morador pode usufruir por muitos e muitos anos”, orienta Carina.

Sofá cinza virado de costas para um grande armário coberto de livros, plantas e outros objetos.
O projeto é do Studio 92 Arquitetura. Mariana Orsi/Casa.com.br

Cuidado com os móveis em madeira

Sala de jantar com mesa com tampo de madeira, cadeiras com estofado rosa.
O projeto é do Studio 92 Arquitetura. Mariana Orsi/Casa.com.br

Os móveis em madeira são sempre uma boa pedida. “Costumamos dizer que é um móvel para a vida toda”, explica a profissional. Conhecidos por conferir elegância aos espaços, eles possuem alta durabilidade quando comparados com mobiliários confeccionados em MDF, por exemplo.

Quarto com parede de tijolos brancos, com diversas plantas pelo chão, e piso de taco
O projeto é do Studio 92 Arquitetura. Mariana Orsi/Casa.com.br
Continua após a publicidade

Carina também reforça a importância de conservar a peça de forma correta. “Limpe o móvel com flanelas macias periodicamente, não utilize produtos de limpeza abrasivos e evite a exposição direta ao sol. Desta forma, a mobília ficará bonita e pronta para ser utilizada na nova decoração”, garante.

Transformando a mobília

Cozinha com armários azuis, quatro na parede lateral, mesa branca com quatro cadeiras ao seu redor.

Com mais de 25 anos na trajetória da família, em diferentes fases da vida, esta mesa foi produzida em madeira maciça por um marceneiro para ser a primeira mesa do escritório da moradora. Agora, depois de ser aparador em outro imóvel, ela compõe a sala de jantar após uma reforma completa que envolveu pintura, diminuição de altura e troca de puxadores da gaveta. 

Sala de jantar com grande mesa vermelha, com cadeiras antigas com encosto de palhinha.
Projeto assinado pelo escritório Patricia Marinho Arquitetura & Design. MCA Estúdio/Casa.com.br

“O encanto do décor é justamente quando conseguimos integrar peças belíssimas, com memórias e ares de renovação. Por isso, não tenha medo de reformas. Elas são preciosas para integrar o móvel ao novo estilo da casa”, comenta a arquiteta.

Detalhes que fazem diferença

Cama com acolchoado branco, janela com cortina cinza, paredes azuis, televisão presa a um painel.
Projeto de Carina del Fabbro Rafael Renzo/Casa.com.br

No dormitório, que tem um estilo de décor leve, o painel da TV não vai até o teto. Em contrapartida, a cabeceira se estende por toda a parede, mesclando a madeira sucupira e uma área estofada. Um dos destaques fica por conta da cor trazida pelo tapete com estampa em Chevron.

Quarto com chão laminado, cama com acolchoado branco, chapéu e objetos pendurados na entrada do cômodo
Projeto de Carina del Fabbro. Com ganchos que podem ser encontrados facilmente em qualquer home center, a lateral do armário ganhou uma função: armazenar e manter os colares devidamente organizados. Rafael Renzo/Casa.com.br

No entanto, o grande diferencial foi dado por uma solução simples: a instalação de pequenos cabides na lateral do closet, permitindo deixar todos os colares sempre ao olhar e livres do perigo de acabarem todos enroscados e danificados dentro de uma gaveta. 

“Aqui, mostramos que pequenas mudanças transformam significativamente um espaço. Caso você ainda tenha receio em reformar móveis maiores, comece otimizando o uso de algumas peças com soluções simples como essa”, afirma.

Sofá azul de costas para uma prateleira coberta de livros e um barco colecionável.
Projeto assinado pelo escritório Patricia Marinho Arquitetura & Design. MCA Estúdio/Casa.com.br

Um exemplo perfeito de como o cuidado com os móveis é fundamental, está na mesa de centro posicionada na sala de estar. Usada anteriormente como banco com almofadas, ficou ainda mais charmosa com os livros e plantinhas no coração do living. 

Sala espaçosa com chão de taco, grande prateleira com plantas e poltrona
Projeto é assinado pelo escritório Studio 92 Arquitetura. Mariana Orsi/Casa.com.br

“Nossa proposta foi produzir um ambiente confortável para assistir TV, bem como propiciar uma atmosfera acolhedora para os convidados. Por isso, pensamos cuidadosamente em cada um dos móveis, cores e texturas”, comenta. 

Visão angular da sala, dois sofás, um azul e outro cinza, grande tapete branco com detalhes geométricos em azul, televisão presa a um painel de madeira
Personalizado, o apartamento paulistano de 92 m², projetado pela arquiteta Carina Dal Fabbro, tira máximo proveito da conexão entre os espaços, o mix com móveis cheios de histórias e valoriza as peças de família Rafael Renzo/Casa.com.br

“O sofá cinza harmoniza perfeitamente com a cor da rack e ganhou algumas almofadas com o mesmo tecido das poltronas azuis completamos com mais almofadas no terracota”, completa Carina.

Continua após a publicidade

Publicidade