Você sabe como escolher seus vasos e cachepots?

Paisagistas dão dicas sobre tamanho, montagem e formas de incorporar os vasos na decoração da casa

Por Redação Atualizado em 25 abr 2022, 15h04 - Publicado em 25 abr 2022, 19h00
Vasos variados com plantas sobre mesa de madeira
Uagoo/Reprodução

Pela primeira vez, muita gente está se aventurando na área de jardinagem! Mesmo para quem não mora em imóveis tão grandes é possível transformar um cantinho do apartamento em um refúgio verde para plantas, flores e até mesmo uma hortinha caseira. No entanto, é essencial escolher um vaso adequado, de acordo com o tipo de planta, seu tamanho e necessidades específicas.

Por isso, a Vasart, em conjunto com os paisagistas Luiz Felipe e Luiz Gustavo, da Folha Paisagismo, apresenta dicas importantes para quem está cuidando de plantas pela primeira vez ou mesmo para quem já está acostumado, mas adora ler sobre o assunto.

Tamanho do Vaso

Vaso de cerâmica; parede de tijolinhos ao fundo
Projeto de MSAD Arquitetura Evelyn Müller/Casa.com.br

Para que o desenvolvimento da planta não seja afetado, convém escolher um vaso que tenha um tamanho proporcional à espécie eleita (já na forma adulta). O recomendado é que a peça tenha mais ou menos a dimensão do tamanho da copa da planta (sua parte superior), afinal a raiz se desenvolve, aproximadamente, do tamanho de sua copa. “Seguindo essa proporção, é muito provável que ela cresça de forma plena”, conta Luiz Felipe.

Rega

Vasos com temperos

Muitas pessoas têm dúvidas se o tipo de vaso pode ter impactos na rega, por isso, Luiz Gustavo esclarece.

“Na verdade, isso tem mais a ver com a espécie e o ambiente onde a planta está inserida, do que com o vaso propriamente dito. Entretanto, o material do vaso pode ter interferência na rega sim. Por exemplo, um material muito poroso como a cerâmica costuma contribuir com uma maior perda de água, do que um vaso de plástico ou vitrificado”, avalia o paisagista.

Cachepot

Cachepots suspensos
BOOBAM/Reprodução
Continua após a publicidade

Para quem não sabe a diferença, o cachepot possui uma proposta mais decorativa, portanto não costuma ser o vaso ideal para o plantio. Como possui uma estética mais trabalhada, geralmente fica à mostra, enquanto um vasinho mais simples (e com furos) fica escondido para abrigar a planta. Entre os exemplos de cachepots estão as cestarias, os vasos de madeira, os modelos esculturais ou alguma peça que não tenha furo na parte inferior.

Montagem

Vasos pequenos com plantas sobre mesa branca
Urban Jungle Bloggers/Reprodução

Os paisagistas sugerem que o cachepot seja montado com uma camada de argila expandida embaixo, impedindo que o vaso da planta encoste no fundo. Portanto, no caso de acumular água, garante que a planta não seja molhada em excesso. “Isso gera mais segurança por conta dessa camada drenante”, orienta a dupla.

Decoração

Sala de tv com rack e vaso com costela de adão
Projeto de Gabriel Cordeiro Arquitetura foto: Mariana Orsi/produção: Deborah Apsan/Casa.com.br

Hoje em dia, os apaixonados por plantas têm uma gama enorme de vasos e cachepots à disposição no mercado, que podem atender a todos os gostos e bolsos.

“Existe uma variedade de materiais e acabamentos, desde os mais rústicos até os mais sofisticados, peças com brilho, esmaltadas, entre muitos outros acabamentos. Sendo assim, a escolha vai depender muito do gosto de cada um e de onde esses vasos serão colocados, como uma casa de praia, campo ou cidade”, conta Luiz Felipe.

Combinações

Vasos grandes para áreas externas
Vasos da coleção Deco, da Vasart, em cores quentes e frias Luis Gomes/Casa.com.br

Na hora de combinar os vasos com a decoração, a Vasart indica algumas características para fazer bonito, como optar por vasos que sigam o mesmo estilo do ambiente, como clássico, moderno, contemporâneo ou industrial. Assim como fazer o mesmo com as alternativas de cores, ou seja, incluir paletas frias ou quentes de acordo com os demais elementos da casa.

Vasos brancos com plantas no chão; móvel ao lado
Minh Phan/Unsplash

Já para quem visa causar um contraste interessante, vale apostar em exatamente o contrário: “Se eu tenho um ambiente de cores frias, posso dar um up e eleger vasos com cores mais quentes. Tudo vai depender da preferência do morador”, conta Silvana Novaes, diretora da Vasart.

Continua após a publicidade

Publicidade