Casa Created with Sketch.

Apê de 90 m² é reformado em três meses com ideias econômicas

As arquitetas Fernanda Gazola e Priscila Cox conseguiram entregar um projeto atrativo e 5% mais barato do que o valor orçado

As arquitetas Fernanda Gazola e Priscila Cox tiveram um desafio enorme em meio à pandemia do novo coronavírus: entregar em um curto período o projeto de um apartamento de 90 m², localizado no Itaim Bibi. O desejo era fazer com que o ambiente ficasse mais atrativo, funcional e agradável para locação.

Apesar da boa metragem do apê, a área coberta possuía aproximadamente metade da metragem, e as profissionais precisavam solucionar toda a casa nesse espaço — cozinha, área de serviço, salas de estar e jantar e a suíte.

A mudança mais radical feita pelas profissionais, para dar mais amplitude, foi abrir todas as paredes e transformar o espaço em uma espécie de estúdio.

As arquitetas também escolheram uma paleta mais clean, que contribuiu para a sensação de o imóvel parecer maior. Elas fizeram um mix equilibrado entre tons sóbrios e contrastantes — preto e branco — para deixar o local mais aconchegante.

 (Sébastien Abramin/Casa.com.br)

Uma iluminação multifuncional ajuda a dar mais liberdade para direcionar o foco de luz — seja para um objeto ou para o teto, deixando a atmosfera mais intimista. Essa foi uma das soluções que Fernanda e Priscila tomaram para dar uma sensação mais jovial e livre para o espaço.

Marcenaria aliada

Com todas as paredes abertas, veio a preocupação de como deixar a suíte mais aconchegante para os hóspedes e a solução foi um móvel giratório desenhado para acomodar a televisão com algumas prateleiras vazadas que, além de oferecer privacidade ao cômodo, fez com que a TV servisse para dois ambientes.

 (Sébastien Abramin/Casa.com.br)

As arquitetas queriam que o espaço ficasse elegante e acolhedor. “Partindo disso, trabalhamos bastante com a marcenaria, de modo que ela ficasse funcional. Uma das soluções que encontramos com base nisso, foi o móvel giratório para a TV da sala/quarto, e o armário que fica entre a cozinha e a sala”, afirma Priscila.

 (Sébastien Abramin/Casa.com.br)

De acordo com as especialistas, o ponto forte foi ter conseguido separar o ambiente de maneira inteligente, focando na amplitude sem abrir mão dos limites de cada um dos cômodos e contar com móveis planejados para essa missão. “Para além da obra, o foco principal da nossa estratégia foi apostar na marcenaria: na cozinha, em vez de vários armários altos, fizemos móveis vazados, com nichos, o que permitiu maior espaço de armazenagem sem que isso atrapalhasse a iluminação, conferindo amplitude ao local”, explica Priscila.

A lavanderia também contou com uma solução esperta para economizar. Como o preço do vidro e do alumínio subiram durante a pandemia, as arquitetas optaram por colocar uma máquina de lavar e secar junto à cozinha e dessa forma aproveitar um único móvel de marcenaria. Segundo Priscila Cox, com todas as soluções econômicas, foi possível uma redução de 5% do valor orçado inicialmente.

 

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.