Casa Created with Sketch.

Tons pastel e móveis funcionais marcam projeto de brinquedoteca

Localizado no alto de Pinheiros, o prédio recebeu o projeto do escritório STAL Arquitetura, que transformou uma área comum vazia em uma brinquedoteca lúdica

O projeto considerou a diferença de idade entre as crianças e focou em soluções que não limitassem o uso. As almofadas e tecidos são da Villa Nova Tecidos

O projeto considerou a diferença de idade entre as crianças e focou em soluções que não limitassem o uso. As almofadas e tecidos são da Villa Nova Tecidos (Fernando Crescenti/Casa.com.br)

Neste edifício localizado no alto de Pinheiros, um ambiente se destaca: a brinquedoteca. Indicadas por uma cliente, as arquitetas Alessandra Pinho e Stella Duprat (STAL Arquitetura) ficaram responsáveis por ocupar uma área comum, até então vazia, e transformá-la em um espaço de convívio para as crianças.

“O prédio tem poucas crianças e de idades diferentes, então procuramos criar algo que não limitasse o uso e atraísse a todas. Projetamos uma estante baixa, que permite que todos alcancem os brinquedos, bem lúdica, com tons pastel. O espaço de leitura é um brinquedo com escorregador, cuja parte de cima funciona como casinha e a parte de baixo, além da lousa, funciona como palco”, conta Stella.

Os tons pastel marcam todo o espaço. Tapeçaria do Ateliê Panaceia

Os tons pastel marcam todo o espaço. Tapeçaria do Ateliê Panaceia (Fernando Crescenti/Casa.com.br)

Com 37 m², a brinquedoteca teve toda a marcenaria desenhada pela dupla de arquitetas, que combinaram o piso vinílico já existente aos tons pastel neutros.

As profissionais também tomaram partido de elementos existentes na arquitetura para valorizar o projeto. “O pé direito é bem alto, o que nos permitiu criar a marcenaria com escorregador. Havia uma viga invertida que precisávamos resolver, então criamos o banco, que, além de servir de apoio e assento, é um grande baú para guardar brinquedos maiores e materiais do próprio condomínio”, explica Stella.

O espaço de leitura é parte de um escorregador, que pode funcionar como casinha na parte de cima

O espaço de leitura é parte de um escorregador, que pode funcionar como casinha na parte de cima (Fernando Crescenti/Casa.com.br)

Dispondo de estante com portas e nichos para brinquedos, marcenaria com mezanino, escorregador, lousa e banco para apoio, com baús no assento, a brinquedoteca se tornou um ambiente funcional, lúdico e divertido. “Ter um mobiliário que beneficie o acesso das crianças é super importante. Desse modo, ela saberá onde estão os seus brinquedos, como eles devem estar organizados e onde guardá-los ao final da brincadeira”, comenta a arquiteta.

Confira mais fotos na galeria abaixo:

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.