Casa Created with Sketch.

Móveis coloridos em tons fechados são a mais nova tendência do design

Confira de que forma as cores podem provocar sensações e algumas inspirações de projetos que se utilizam desta premissa

moveis coloridos na decoração Projeto do escritório TN Arquitetura para uma casa em Curitiba

Projeto do escritório TN Arquitetura para uma casa em Curitiba (Eduardo Macarios/BowerBird)

Como em muitas outras áreas, na decoração as cores não existem à toa. Elas são capazes de suscitar sensações e sentimentos devido à série de vivências comuns armazenadas em nosso subconsciente.

É por isso que, por exemplo, que conceitos como “novo”, “bem” e “limpo” são atribuídos à cor branca. Enquanto isso, o vermelho é relacionado ao fogo, à paixão, ao amor e também à raiva. O azul, por outro lado, está ligado à calma e à harmonia, e o verde à natureza e esperança. Veja mais sobre a psicologia das cores aqui.

moveis em tons fechados tão um toque de cor aos ambientes Projeto do escritório Malbu Arquitetura e Interiores para um apartamento em São Paulo

Projeto do escritório Malbu Arquitetura e Interiores para um apartamento em São Paulo (Mariana Orsi/ArchDaily)

Esta conexão entre cores e sensações tem impacto direto em nosso dia a dia. Segundo disse Petrus Raulino (psiquiatra e responsável pelos Serviços de Interconsulta em Psiquiatria do Hospital Vera Cruz e do Vera Cruz Casa de Saúde) à AKMX, diversas pesquisas apontam que a harmonia das cores, luminosidade e ambiente podem interferir na vitalidade mental e, consequentemente, na produtividade.

Sabendo do poder da psicologia das cores e da variedade de combinações que elas permitem, muitos profissionais apostam em tons do círculo cromático para transformar ambientes. E a nova tendência é o uso de cores mais fechadas, que evocam elegância e sobriedade.

O uso da cor na marcenaria

 

sala com moveis coloridos Projeto do SP Estúdio para um apartamento na Vila Mariana

Projeto do SP Estúdio para um apartamento na Vila Mariana (Nathalie Artaxo/Casa.com.br)

Há várias formas de inserir as cores em um espaço: nas paredes, no piso, nos acessórios. Uma alternativa bastante utilizada por arquitetos e designers de interiores é a aplicação pontual na marcenaria.

Veja também

Essa tendência se dá devido à disponibilidade de novos acabamentos no mercado, como novas cores para as lacas e pintura eletrostática e laminados melamínicos. Optar por armários e móveis coloridos pode garantir à casa uma decoração mais contemporânea. Sobre uma base branca ou de tons neutros, estas cores se destacam e viram protagonistas, dinamizando o décor.

Confira na galeria algumas inspirações de projetos cuja marcenaria é colorida:

Tons fechados ganham destaque no mobiliário

 

inspiração de móvel azul Projeto do escritório TN Arquitetura para uma casa em Curitiba

Projeto do escritório TN Arquitetura para uma casa em Curitiba (Eduardo Macarios/BowerBird)

Em contrapartida ao uso de tons pastel, os tons escuros têm ganhado força nos projetos de decoração. Nesta onda, destacam-se cores como azul índigo, azul petróleo, berinjela, marsala, laranja abóbora, mostarda e ocre.

Como dito acima, cores fechadas evocam sensações relacionadas à sobriedade. O preto clássico tende a ser associado com elegância e força, o cinza à solidez e à neutralidade, o marrom à sofisticação, e o violeta à nobreza.

Elas podem ser combinadas entre si como cores análogas ou complementares. Veja algumas inspirações de projetos em que estes tons fechados foram o grande destaque:

Cores primárias são as apostas do designers

 

cores primárias na decoração

 (Minha casa Minha cara/Reprodução)

Mas nem tudo é sobre tons fechados. Outra aposta entre os profissionais da decoração tem sido as cores primárias e a estética De Stijl e Bauhaus.

O De Stijl se trata de um movimento holandês do ano de 1917 seguido por artistas e arquitetos que propunha formas geométricas abstratas, ascetismo da forma de representação na arte e na arquitetura, e purismo limitado pela funcionalidade.

Enquanto isso, a Bauhaus foi uma escola de arte vanguardista da Alemanha que buscava um design de formas e linhas simplificadas, definidas pela função do objeto.

parede amarela em constaste cm a decoração mais clean

 (Pinterest/Reprodução)

Os dois movimentos são muito parecidos e valorizavam o uso de cores primárias: vermelho, amarelo e azul, que não são produzidas a partir de outros pigmentos.

Na decoração, elas podem ser poderosas e transformar por inteiro um ambiente, antes sem vida, em um espaço mais jovem, energético e despojado. Confira alguns projetos que se utilizaram desta premissa e se inspire:

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.