Casa Created with Sketch.

Ikebana: tudo sobre a arte japonesa dos arranjos de flor

Delicados e sutis, os arranjos florais japoneses são baseados na harmonia e incluem as folhas, caules, e galhos

Ikebana com dois troncos, dois galhos e flores vermelhas e amarelas

 (Shozo Sato, Contemporary Ikebana/ Japan Objects/Reprodução)

O que é?

Se você já visitou um templo, museu, ou até mesmo algum restaurante japonês, já deve ter se deparado com arranjos florais muito característicos: sutis, delicados, sem muitos elementos. A Ikebana, que significa “flores vivas”, é a arte milenar de montar arranjos com base no simbolismo, harmonia, ritmo e cor. Nela, tanto a flor, quanto o caule, as folhas e o vaso fazem parte da composição, representando o céu, a terra e a humanidade. Mesmo galhos secos e frutos podem ser incorporados ao conjunto.

Ikebana com bambu. Galho com pequenas flores vermelhas. Folhas de bambu acima

 (Shozo Sato, Contemporary Ikebana/ Japan Objects/Reprodução)

Os arranjos de Ikebana são como esculturas, pinturas e outras formas de arte. Eles carregam significados, narrativas e importância histórica.

Onde surgiu

 

Desenho histórico de ikebana

 (Shozo Sato, Contemporary Ikebana/ Japan Objects/Reprodução)

A Ikebana chegou ao Japão no século seis, trazida por missionários chineses que criavam os arranjos como uma oferenda à Buda. Os elementos se apoiam no kenzan, um suporte metálico pontiagudo.

Estilos

Conheça alguns dos diferentes estilos que surgiram ao longo dos anos.

Rikka

 

Ikebana com números indicando a posição de cada elemento

 (Shozo Sato, Contemporary Ikebana/ Japan Objects/Reprodução)

Este estilo está muito ligado aos deuses, e simboliza a beleza do paraíso. O Rikka possui nove posições, que foram criadas pelos monges budistas.

  1. Shin: montanha espiritual
  2. Uke: recebendo
  3. Hikae: esperando
  4. Sho shin: cachoeira
  5. Soe: ramo de apoio
  6. Nagashi: fluxo
  7. Mikoshi: ignorar
  8. Faça: corpo
  9. Mae oki: corpo frontal

Seika

 

Ikebana com folhas verdes pontudas e pequenas flores roxas

 (Shozo Sato, Contemporary Ikebana/ Japan Objects/Reprodução)

Em contraste com a formalidade das regras Ikebana estritas de Rikka, Seika traz maneiras mais livres de arranjar flores. O estilo nasceu da junção de dois outros estilos, o mais rígido Rikka e o Nageire, que permitia que as flores descansem livremente no vaso. No final do século XVIII, a interação entre Rikka e Nageire deu origem a um novo tipo de arranjo de flores chamado Seika, que significa literalmente flores frescas.

No estilo Seika, três das posições originais foram mantidas: shin, soe e uke (embora agora conhecido como taisaki), criando um triângulo desigual.

Moribana

 

Ikebana com galho e flores amarelas

 (Shozo Sato, Contemporary Ikebana/ Japan Objects/Reprodução)

Os espaços abertos de hoje exigem que Ikebana seja visto de todos os lados, de 360 ​​graus. Isso é totalmente diferente da abordagem de Ikebana no passado. Para ser apreciado, Seika deve estar em um tokonoma (sala estar japonesa) e ser visto sentado no chão em frente ao arranjo. O estilo Moribana de Ikebana evoluiu como uma forma de criar uma qualidade escultural mais tridimensional com o uso de plantas naturais.

Ikebana Contemporâneo

 

Ikebana moderno com vaso geométrico e folhas amarradas de forma circular

 (Shozo Sato, Contemporary Ikebana/ Japan Objects/Reprodução)

O conceito e o estilo dos arranjos de flores clássicos – como Rikka e Seika – continuam a ser fundamentais, mas os gostos modernos levaram ao uso de uma variedade de materiais não usados ​​anteriormente em Ikebana. Neste exemplo, talvez o vaso de flores exclusivo com suas três linhas finas pintadas inspirou o artista a criar este arranjo deslumbrante.

*informações Japan Objects

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.