Casa Created with Sketch.

Como cultivar babosa

A aloe vera pode ser criada em ambiente interno ou externo. A seguir, tudo o que você precisa saber ela!

 (Patch Plants/Reprodução)

As folhas grossas e pontudas tornam a aloe vera, mais conhecida como babosa, uma planta com aparência magnífica. A junção disso com o fácil cultivo é o que a torna muito popular.

Acrescentando-a à decoração da casa, ela vai bem em qualquer cômodo – inclusive nos banheiros, já que possui uma afinidade natural com o vapor – e ajuda a manter o ar do espaço limpo – posicione uma no seu quarto para melhorar a qualidade do ar durante o sono.

 (Alamy/Reprodução)

Agrupe a espécie com cactos decorativos e suculentas – como agave, echeveria e senecio. Embora o comum seja criá-la como uma muda interna, você também consegue deixá-la ao ar livre em climas mais quentes.

Se seu objetivo é ter uma babosa, as informações a seguir serão cruciais: 

Algumas dicas rápidas de como plantar

 

Resistente e bastante auto suficiente, a aloe vera apresenta baixa manutenção. Ela armazena umidade e nutrientes em suas folhas para passar pelos períodos de seca. Para cobrir suas necessidades, uma vez por ano – preferencialmente no início da estação de plantio na primavera – dê um fertilizante geral para ramos domésticos.

No verão, regue a cada quinze dias e acomode em um local com bastante sol.

Produzindo dentro de casa

 

Ela gosta de condições secas, logo, plante-a com um composto para cactos ou regular com perlita ou areia. Certifique-se de que o pote dispõe muitos orifícios de drenagem. Preste atenção na quantidade de água de cada rega e escorra o excesso que se acumula no fundo do vaso.

Outros fatores são: luz – claridade é essencial, coloque-a perto de janelas voltadas para o sul ou oeste – e a escolha de recipientes – podendo ficar pesada, providencie um reservatório em forma de tigela, mais largo do que alto, evitando que tombem.

Qual o melhor tipo de luz?

 

Evite que raios de sol atinjam o ramo diretamente – uma vez que eles gostam de brilho indireto. Caso contrário, irão secar demais e suas folhas podem amarelar. Ao ar livre, evite colocar em locais muito sombreados.

Como cultivar no jardim externo?

 

Tente agrupar a muda com outros cactos e suculentas que possuem demandas semelhantes. Deixe-a para fora de casa no verão e transfira para a área interna na estação fria, protegendo-a das temperaturas baixas.

Veja também

Se você quiser incluir o tipo nas bordas de seu jardim, a maneira mais fácil é plantar em um recipiente para posicioná-la como um ponto focal. A aloe vera em vasos também é uma ótima opção para decks e pátios.

Como funciona a rega?

 

Molhe os potes uma vez a cada quinze dias – menos no inverno -, permitindo que o solo não fique encharcado. Como já foi pontuado, a espécie lida relativamente bem com a seca – principalmente por serem suculentas.

Folhas murchas, enrugadas e até transparentes são sinais de desidratação. Apesar de se recuperarem ao serem regadas, não vão prosperar se esse hábito for contínuo – isso é válido para pouca ou muita água -, resultando em uma muda amarela e com risco de vida.

No caso de exagero, verifique suas raízes. Se notar que estão mortas ou pastosas, possivelmente a causa das folhas enrugadas, a melhor opção é aceitar que a hora da planta.

Tratamento especial no inverno?

 

Esse é o momento de descanso do ramo. O importante é ter pouca água e nenhum alimento – principalmente em locais frescos, pois corre o risco de apodrecimento. Em jardim externos, assim que a temperatura cair, traga seus reservatórios para dentro de casa.

Terá flores?

 

Alguns tipos possuem flores e outros não. Para que elas apareçam, a planta precisa estar firme, atingir maturidade – o que leva cerca de quatro a cinco anos – e ter boas condições de luz. Conseguindo florescer em qualquer época do ano, o caule florido surge como uma espiral em arco.

Como preservá-la?

 

A aloe vera não é suscetível a doenças, mas cochonilhas podem aparecer entre as folhas. Para eliminar, borrife água e limpe com um pano macio. Saiba que o problema talvez seja difícil de resolver e, se isso não funcionar, opte pelo descarte e comece de novo.

Não se esqueça das práticas de rega e iluminação – é melhor que o solo esteja um pouco seco demais do que úmido demais.

 (reprodução/Apartment Therapy)

Se as pontas das folhas estiverem marrons, corte-as por inteiro e perto da base do ramo para encorajar um novo crescimento – nunca pode as folhas do centro.

As raízes da babosa gostam de se espalhar pela superfície, à medida que ela se fortalece e precisa ser replantada, passe para um vaso mais largo, oferecendo mais espaço para evolução.

É possível propagar a espécie com um corte?

 

Quando o assunto é propagação, ela traz boas notícias. Se a sua muda estiver muito congestionada, por exemplo, é possível separar alguns dos rebentos para criar em um espaço separado. Quer saber como fazer esse processo do melhor jeito possível?

 (Alamy/Reprodução)

Comece colocando em um vaso os “brotos”  que se desenvolveram na base do ramo. Com muito cuidado, separe os rebentos dos pais e replante-os separadamente em recipientes com terra – tenha certeza de que cada um tem algumas raízes próprias.

Use uma mistura de composto de drenagem livre e regue bem. Depois, espere algumas semanas antes de acrescentar água novamente, com moderação, até que amadureçam e pareçam bem estabelecidas.

Quais os benefícios para a saúde?

 

A seiva das babosas são famosas para o tratamento de queimaduras solares, eczema e picadas de insetos, por ser repleta de propriedades curativas. Para melhores resultados, use-a direto da planta – quanto mais grossa a folha, mais líquido você encontrará dentro.

 (Ergita Sela/Unsplash)

Quer tratar uma pequena área de queimaduras solares? Quebre uma folha ou parte dela e esfregue suavemente a ponta dividida na ferida.

Se precisar lidar com uma área maior, quebre uma folha maior e escorra a seiva em uma tigela antes de aplicá-la. Por ser benéfico para a saúde intestinal, em caso de sobras, adicione em alguma bebida – como no smoothie.

*Via Gardening Etc

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.