Casa Created with Sketch.

Artista da Califórnia cria máquina de abraçar pessoas

A Compression Carpet, como foi chamada, envolve o usuário em um afago de corpo inteiro

 (Divulgação/Casa.com.br)

Considerada por ela mesma como uma arquiteta corporal, a artista de Los Angeles Lucy McRae chocou e inovou ao criar sua Compression Carpet, uma máquina de abraços.

A invenção surge em meio aos questionamentos de McRae sobre o futuro e o impacto que a tecnologia terá no bem-estar das pessoas.

 (Divulgação/Casa.com.br)

“Estamos caminhando para uma crise do toque, onde estamos inundados de tecnologia, a ponto de angústia”, diz a artista.

“No futuro, a tecnologia disputará o nosso afeto por causa da nossa obsessão pelo digital?”, ela provoca com o questionamento.

 (Divulgação/Casa.com.br)

A invenção de McRae é uma máquina que oferece ao usuário abraços de corpo inteiro, quando este se coloca entre as almofadas.

Colorida em tons de rosa e marrom, que lembram os da pele, a criação enfatiza a ilusão do toque humano.

 (Divulgação/Casa.com.br)

Enquanto quem é abraçado basta se posicionar dentro da Compression Carpet, outra pessoa deve girar a manivela, o que fará com que a máquina se mova lentamente ao redor de quem a usufrui.

Essa outra pessoa tem total controle sobre a firmeza do abraço. McRae descreve a experiência como “embalar para se render”.

 (Divulgação/Casa.com.br)

A obra foi apresentada no Festival of the Impossible, uma exposição em São Francisco, que explorou o futuro relacionamento entre humanos e máquinas. Os convidados foram convidados a experimentar a máquina por si mesmos.

 (Divulgação/Casa.com.br)

“A maioria saiu com um olhar vidrado, depois de alguns minutos espremidos”, diz McRae. “Um usuário comparou a experiência ao sentimento reconfortante que teve ao abraçar um amigo com o dobro do seu tamanho, enquanto outra foi capaz de usar e aproveitar o dispositivo apesar de sofrer de claustrofobia”.

“Durante os primeiros momentos, ela sentiu os gatilhos da claustrofobia, mas os venceu mantendo a calma”, acrescentou a artista. “Meu palpite é que, se adicionarmos som e áudio guiado, a experiência expandirá os sentidos um passo adiante”, diz.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s