Casa Created with Sketch.

Google celebra legado da civilização Maia em coleção inédita

Através de plataforma digital, peças do patrimônio artístico Maia foram recriadas e reproduzidas para preservar a história

 (Divulgação/Casa.com.br)

Sob os holofotes no ano de 2012 – quando o fim dos ciclos em seu calendário foram interpretados pelos curiosos como fim do mundo –, a cultura da civilização Maia vai muito além de previsões apocalípticas ou arquitetura emblemática. Ela também é reconhecida pela escrita hieroglífica, composta por mais de 700 signos, e por sua escultura religiosa, que a diferenciam de outras sociedades do mundo.

Com o intuito de prestar homenagem às origens da história mexicana e latino-americana em geral, o Google Arts & Culture, em parceria com o Museu Britânico e o INAH (Instituto Nacional de Antropologia e História do México), lançou a coleção Explorando o mundo Maia – Uma viagem ao passado com arte antiga, exploradores vitorianos e tecnologia digital.

Leaves 4 to 7 from a facsimile of the Dresden Codex, a Maya screenfold book. Am2006,Drg.224. Da coleção do British Museum.

Leaves 4 to 7 from a facsimile of the Dresden Codex, a Maya screenfold book. Am2006,Drg.224. Da coleção do British Museum. (Google/Divulgação)

A plataforma busca preservar e compartilhar, digitalmente, o maior arquivo antigo de arte e patrimônio Maia do mundo.

Por meio dessa iniciativa, foi possível reunir histórias, artefatos, obras de arte e realizar a exploração virtual de locais com influência da civilização, antes inacessíveis on-line. 

Escada de Palenque para o céu. Os maias registraram histórias nos degraus da escada dentro do Palácio Palenque, no México.

Escada de Palenque para o céu. Os maias registraram histórias nos degraus da escada dentro do Palácio Palenque, no México. (Google/Divulgação)

Como um dos marcos do projeto, o Google Arts & Culture digitalizou em 3D os moldes de gesso que compõem a Escada Hieroglífica de Palenque, atualmente no Museu Britânico. 

A reprodução digital está sendo enviada para o local original no patrimônio mundial de Palenque (México), onde a obra de arte original se deteriorou devido à exposição. O objetivo é proteger a arte original com a reprodução em 3D.

Quatro funerais e um casamento. Esta obra simboliza a maneira pela qual os maias viam a morte e a importância que atribuíam ao conceito de renascimento.

Quatro funerais e um casamento. Esta obra simboliza a maneira pela qual os maias viam a morte e a importância que atribuíam ao conceito de renascimento. (Google/Divulgação)

Além da escadaria de Palenque, o projeto inclui a recriação digital de mais de 660 peças, entre as quais destacam-se moldes de gesso do século XIX, que estão em condições muito frágeis; fotografias de placas de vidro; 20 passeios virtuais em vídeo; quatro editoriais sobre a história dos Maias; nove exposições que demonstram a evolução da civilização.

É possível ainda conferir o escaneamento dos arquivos encontrados no Museu Britânico e que, agora, retornam ao México digitalmente.

Através da coleção, o Google Arts & Culture busca acrescentar esforços a sua missão de preservar digitalmente a história e compartilhá-la com todas as pessoas do mundo, que agora podem se aproximar civilização Maia e seu legado. Quer saber mais? Então visite a exposição aqui!

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s