Rooftop: a tendência na arquitetura contemporânea

Já aplicado em projetos no Brasil desde de 1940, ele volta ao mercado como diferencial competitivo, agregando beleza, funcionalidade e melhor aproveitamento

Por Redação Atualizado em 19 fev 2021, 22h56 - Publicado em 22 fev 2021, 06h00

Nas décadas de 1940 e 50, já se falava em rooftop no Brasil. Quem não conhece, ou, ao menos, ouviu comentários sobre o famoso Edifício Itália, localizado no Centro da cidade de São Paulo, onde, de seu famoso restaurante “Terraço Itália”, localizado no topo do prédio, é possível apreciar a maravilhosa e encantadora vista da capital paulista? Na arquitetura, o rooftop (em português topo do telhado, ou cobertura), nunca saiu de cena, e hoje retorna como a “tendência” nos mais modernos projetos arquitetônicos.

Cadeiras e mesas brancas no Rooftop do Yoo2, ao Fundo, a cidade do Rio De Janeiro, com o Pão de Açúcar e o mar.
Yoo2 Reprodução/The Rooftop Guide/Casa.com.br

Ele chega ainda como uma excelente opção de aproveitamento do topo do edifício, valorizando o empreendimento, conforme explica o arquiteto Edward Albiero, da Albiero e Costa Arquitetura. “Hoje em dia, as áreas sociais dos edifícios acabam sendo bastante valorizadas nesses aspectos do convívio, do lazer, da troca de informações, e o rooftop é um lugar bacana para isso. Ali você tem um conjunto mais reservado, e com aquela vista maravilhosa.

Skye Bar, com deck de madeira, esteiras de praia, e uma piscina estreita e longa.
Skye Bar – Hotel Unique Reprodução/The Rooftop Guide/Casa.com.br

É uma forma muito agradável e muito interessante de se resolver a parte do topo do edifício, que a grande maioria acaba fazendo os tradicionais apartamentos de cobertura. Mas o rooftop é onde estão todas as áreas de lazer: salão de festas, espaço gourmet, sollarium e academia”, explica o arquiteto.

Diferencial de mercado

Rooftop do Fasado, com deck, bar e cadeiras de madeira. Ao fundo, vista para o mar
Hotel Fasano Reprodução/The Rooftop Guide/Casa.com.br

A escolha do rooftop surge como o grande diferencial do projeto. “O conceito básico é este: da excelência da construção, do rigor projetual, sempre para colocar a melhor situação para o proprietário, morador, e ajustada, é lógico, a um contexto de mercado: valor de venda, custo final da obra. Então, este conceito foi muito trabalhado no decorrer dos estudos preliminares do projeto”, disse.

Continua após a publicidade

Publicidade