Projeto encontra soluções para encaixar casa de concreto na Amazônia

A partir da reversão de tipologia habitacional e design passivo, a casa se adequou às condições da floresta

Por Yara Guerra Atualizado em 17 fev 2020, 15h59 - Publicado em 19 jul 2019, 12h21
Maíra Acayaba e Leonardo Finotti/Divulgação

Com áreas sociais externas e piscina elevadas sobre densa floresta tropical, a Casa Campinarana foi construída no meio da Amazônia de Manaus (AM).

O projeto, do escritório de arquitetura Laurent Troost Architectures, visava uma casa de concreto de dois andares que se aninhasse dentro da Campinarana, floresta caracterizada por pequenas árvores, cujo solo é raso e argiloso.

Maíra Acayaba e Leonardo Finotti/Divulgação

Para minimizar o desmatamento e preservar o máximo possível da floresta, a principal estratégia arquitetônica para a construção no terreno foi a reversão da tipologia habitacional clássica.

Uma das soluções, por exemplo, foi locar a cozinha, a piscina o quarto no andar superior, reduzindo a quantidade de espaço passível de edificação térreo.

Maíra Acayaba e Leonardo Finotti/Divulgação
Continua após a publicidade

O outro objetivo do projeto era empregar estratégias de design passivo para se adequar ao clima quente do cenário amazônico.

Isso incluiu a criação de beirais suspensos para oferecer sombreamento, aberturas para ventilação cruzada, bem como a preservação de sistemas ecológicos locais.

Maíra Acayaba e Leonardo Finotti/Divulgação

“As condições naturais e ambientais são extremas e a proximidade da zona equatorial requer uma arquitetura orientada para o conforto térmico e a sustentabilidade ‘passiva'”, comenta o escritório.

A Casa Campinarama foi indicada para o Dezeen Awards 2019 como um projeto residencial rural, junto a outras como a Boathouse canadense preta, uma casa pré-fabricada de jardim suspenso e uma fazenda esguia e bem isolada.

Confira em nossa galeria outras fotos do projeto:

Continua após a publicidade

Publicidade