Casa Created with Sketch.

Arquiteta explica como usar lustres e pendentes nas salas de jantar

Karina Korn compartilha dicas de como escolher essa luminária, aborda a instalação e elenca sugestões de modelos de acordo com o estilo da decoração

Seja para iluminar durante as refeições, bate-papos descontraídos que acontecem pós-evento ou simplesmente decorar o ambiente em que estão instalados, lustres e pendentes são considerados peças fundamentais da decoração de qualquer sala de jantar.

Eles contribuem para compor um espaço bonito e agradável para receber a família e amigos, mas o contrário também pode acontecer caso a escolha não seja feita em consonância com o restante do décor. Outro porém está relacionado com a distância certa para seu posicionamento: muito próximo à mesa, por exemplo, atrapalha diretamente na visibilidade.

Sala de jantar com mesa de vidro branca e cadeiras com pernas de madeira e estofado cinza, com dois pendentes Acompanhando as dimensões da mesa retangular definida pela arquiteta para o ambiente, a distribuição da iluminação contempla dois pendentes iguais, proporcionando uma composição uniforme na sala de jantar

Acompanhando as dimensões da mesa retangular definida pela arquiteta para o ambiente, a distribuição da iluminação contempla dois pendentes iguais, proporcionando uma composição uniforme na sala de jantar (Eduardo Pozella/Casa.com.br)

Até a cor da lâmpada escolhida pode interferir no clima do ambiente. Considerando a relevância que essa escolha tem para a sala de jantar, a arquiteta Karina Korn, do escritório Karina Korn Arquitetura, reuniu dicas para auxiliar na escolha do modelo ideal e instalação. Além disso, junto com a Yamamura, separou uma lista de lustres e pendentes capazes de deixar qualquer sala de jantar mais bonita e agradável. Confira!

Lustres x pendentes: entenda as diferenças cada um

Apesar de terem a mesma finalidade de iluminação do ambiente, existem algumas diferenças relevantes que devem ser levadas em consideração para evitarmos erros quando vamos escolher por um lustre ou pendente:

Lustres costumam ser peças grandes e são compostos por mais de uma lâmpada e apresentam braços. Normalmente, são produzidos em metal, cristais ou vidro e possuem muitos detalhes. Por isso, costumam se apresentar em décor de estilo mais clássico.

Marco Antonio
” data-image-caption=”” data-image-title=”” title=”01-como-combinar-lustre-de-cristal-e-espelho-na-sala-de-jantar” data-image-source=””>

Marco Antonio
” data-image-caption=”” data-image-title=”” title=”01-como-combinar-lustre-de-cristal-e-espelho-na-sala-de-jantar” data-image-source=””>  (
Marco Antonio
/)

Outra característica marcante de sua composição é o fato de serem sustentados por cabos, correntes ou fios. Por seu tamanho avantajado, os lustres são considerados itens de iluminação de efeito geral e ideais para valorizar os ambientes como peça de destaque.

Utilizando correntes, cabos ou fios para a sua sustentação, os pendentes costumam ter porte de pequeno ou médio. Versáteis, costumam ser bastante utilizados em ambientes de propostas decorativas, destacando-se em espaços modernos, contemporâneos ou industriais.

Proporção

A escolha do lustre ou do pendente deve levar em consideração todo o entorno do ambiente: espaços maiores, como casas com pé-direito duplo, podem abrigar grandes lustres que chamem atenção. “Em salas com menos espaço, os pendentes são sempre a decisão mais acertada”, sugere a arquiteta.

Se por um lado as questões inerentes ao modelo e estilo de lustres e pendentes podem ser definidas de acordo com o gosto do proprietário ou o estilo da decoração proposta, o martelo não pode ser batido sem antes chegar algumas regras que devem ser consideradas independentemente do espaço, modelo ou proporção do ambiente.

Mesa de jantar de madeira com cadeira pretas, com pendente acima dela No projeto do duplex com pé-direito duplo assinado por Karina Korn, o pendente, escolhido em consonância com as cores presentes na decoração, foi instalado 90 cm acima da mesa

No projeto do duplex com pé-direito duplo assinado por Karina Korn, o pendente, escolhido em consonância com as cores presentes na decoração, foi instalado 90 cm acima da mesa (Eduardo Pozella/Casa.com.br)

Para que todas as pessoas no entorno da mesa tenham uma boa visibilidade, é importante que não haja interferência de nenhum elemento no meio. Falando de lustres e pendentes, o indicado é que a distância entre o tampo da mesa e o começo do lustre esteja entre 70 e 90 cm, podendo variar em algumas situações. “Apesar de ser uma condição a ser seguida, o bom-senso é importante no momento da instalação. Para moradores mais altos, podemos subir um pouco o lustre, em casos de famílias mais baixas, descemos. O olhar é essencial”, explica a arquiteta.

Posição

O posicionamento da peça escolhida pode variar de acordo com o modelo da mesa disponível na sala de jantar: mesas quadradas e redondas, invariavelmente, pedem uma iluminação centralizada, seja ela feita por um lustre ou por um pendente. “Estes modelos não permitem mudanças, pois qualquer outra opção não vai ficar boa, haja vista pedem uma iluminação mais focada.”, explica a arquiteta.

Aos que desejam ousar na iluminação, alguns caminhos são certeiros: pode-se empregar vários pendentes em volta da mesa retangular ou mesmo criar um caminho que percorra o móvel com vários lustres.

Mesa quadrada de madeira com cadeira de madeira e pendente de cristal acima dela Na mesa com quatro posições, o pendente foi posicionado para criar uma iluminação centralizada sobre a mesa quadrada

Na mesa com quatro posições, o pendente foi posicionado para criar uma iluminação centralizada sobre a mesa quadrada (Luis Gomes/Casa.com.br)

Estilos

Clássico, moderno, contemporâneo, industrial: estas são apenas algumas das infinitas escolhas de modelos de lustres e pendentes disponíveis no mercado para atender os mais variados tipos de salas de jantar. Esta variedade possibilita amplitude na criatividade e nos gostos das pessoas, dispensando a necessidade de seguir um padrão específico na hora da escolha.

Na hora de decorar sua casa, a designer australiana Margaret Scholley não teve medo de ousar. Na cozinha, integrada com a sala de jantar, a cor azul e a madeira são os grandes destaques

Na hora de decorar sua casa, a designer australiana Margaret Scholley não teve medo de ousar. Na cozinha, integrada com a sala de jantar, a cor azul e a madeira são os grandes destaques (Reprodução/Apartment Therapy/CASA CLAUDIA)

É importante que a peça escolhida siga uma linha dentro da decoração proposta, mas não há necessidade de ‘combinar’, literalmente falando. O lustre clássico certamente irá compor melhor um ambiente de estilo clássico, mas também pode criar uma composição interessante em uma sala de estilo contemporâneo ou até industrial. “Foi a época em que precisávamos nos prender 100% aos padrões. Desde que haja harmonia, podemos ousar à vontade”, sugere.

Formatos

Soho House Soho House

Soho House (Reprodução/Instagram)

É possível conceber composições aplicando mais de um formato de lustres ou pendentes, porém eles devem ter algo que conecte um ao outro: para uma formação com diversas formas geométricas, por exemplo, é primordial que todos tenham a mesma cor. O mesmo serve para versões que possuam a lâmpada sobressaltada: todos devem ter essa característica para que indiquem uniformidade e coerência na decoração.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.