Drones: os novos agentes do combate ao Coronavírus na China

O uso da tecnologia tornou-se uma alternativa para não expor novas pessoas ao vírus

Por Ana Carolina Harada Atualizado em 19 mar 2020, 15h48 - Publicado em 3 mar 2020, 17h42
Reprodução/Casa.com.br

A China vive o enorme desafio de enfrentar o surto de coronavírus. Porém, a tecnologia, definitivamente, pode ajudar a combater a doença e diminuir o número de pessoas expostas ao patógeno. Agora, o Governo começou a usar robôs e drones para desinfetar hospitais, levar alimento e auxiliar com as quarentenas. Isso auxilia a controlar a transmissão do vírus de pessoa para pessoa.

Reprodução/Casa.com.br

Aproximadamente 780 milhões de pessoas estão com algum tipo de quarentena domiciliar na China. Wuhan, por exemplo, ficou duas semanas completamente isolada do restante do país. No mundo, o total de mortes ultrapassa os 2 mil, com mais 74 mil pessoas infectadas.

Drones fiscais

Reprodução/Casa.com.br

O tabloide Global Times, publicou vídeos virais nos quais drones com alto-falantes mandavam moradores de áreas rurais ficarem em casa. Também há relatos de drones sendo usados para fazer imagens térmicas de cidadãos, para detectar se algum deles está com febre. Segundo o especialista em drones e tecnologia, Andy Miah, esses vídeos parecem absurdos, mas podem muito bem serem reais.

Veículos remotos como faxineiros

Reprodução/Casa.com.br
Continua após a publicidade

Os veículos não tripulados aéreos e terrestres tornaram-se uma alternativa do governo chinês para desinfetar áreas sem expor novas pessoas ao coronavírus. “Começamos a usá-los para desinfecção e prevenção de doenças em Taiyuan em 4 de fevereiro”, disse à AsiaWire o vice-secretário-geral da Associação de Veículos Não Tripulados da Província de Shanxi, Hou Yongei.

Drones entregadores

Reprodução/Casa.com.br

Já nos locais onde os doentes estão sendo tratados ou hospitais estão sendo construídos, drones levam iluminação e alimento. Um pequeno robô chamado Little Peanut (pequeno amendoim) entregou comida para 300 passageiros de um vôo infectado que estavam em quarentena.

O fator humano

Ainda é muito difícil ponderar se essa substituição de funções humanas por drones são um avanço a ser louvado ou um passo mais próximo de um futuro distópico, com comunidades completamente isoladas. Porém, mesmo com a tecnologia, a China ainda recorre a voluntários para ajudar no tratamento dos milhares de infectados e no controle das fronteiras para que a doença não se espalhe mais.

Há até mesmo aqueles que, de maneira quase heróica, tentam combater o Coronavírus da forma como podem. Um vídeo no Youtube mostra um homem sentado na parte de trás de um carro soprando desinfetante com uma máquina improvisada.

Continua após a publicidade

Publicidade