Casa Created with Sketch.

Queimadas na Amazônia são o tema da manifestação Fridays for Future

O movimento organizado por Greta Thunberg se solidariza com a situação da floresta brasileira

 (Reprodução/Casa.com.br)

Nobody knows if it’s night or day”. Nos versos de “Dont Look Back in Anger”, do Oasis, Noel Gallagher traduziu o pensamento dos paulistanos na tarde da última segunda-feira (19). O céu escuro da capital paulista deixava dúvidas se era noite ou dia, às 15h.

O fenômeno deu o que falar na internet e, poucas horas depois, um dos motivos do escurecimento do céu foi esclarecido: a fumaça, originária das queimadas na região da Floresta Amazônica, que ocorriam já há alguns dias, tinham certa parcela de culpa, segundo o Climatempo, site especializado em meteorologia.

 (Reprodução/Casa.com.br)

A situação das queimadas viralizou na internet em poucas horas e preocupou pessoas ao redor de todo mundo. Campanhas e hashtags foram criadas nas redes sociais para que o governo brasileiro tomasse medidas à respeito deste crime ambiental.

A situação é tão grave, que as queimadas na Amazônia são o tema da manifestação do movimento “Friday for Future”, manifestação que ocorre mundialmente e pede por soluções para o aquecimento global.

 (Reprodução/Casa.com.br)

Em nota no Instagram Oficial do movimento, o post atenta sobre as queimadas e faz um apelo: nesta sexta-feira, as greves serão em prol da Amazônia. O FFF cobra o governo brasileiro por medidas urgentes.

Mas afinal, que movimento é esse?

View this post on Instagram

THE AMAZON RAINFOREST IS ON FIRE. A chunk of the Amazon rainforest has been ravaged by violent wildfires, and the smoke from the infernos is so intense, it can be seen from space. The fire has been ongoing for several weeks, and the region has declared a state of emergency. The city of São Paulo was completely engulfed in darkness due to the smoke from the fires. This Friday, we are striking for the Amazon. We demand action from the Brazilian government, who over the last few months has been increasing the deforestation rate in the Amazon rainforest, and also hasn't done anything to stop the wildfires! Join us! SOS Amazonia! P.s. These are older photographs of the Amazon burning, but they tell the same story and pose a similar sight to what is happening now which is why we have chosen to use them. There are more photographs of the current fires that can be found online. #sosamazonia #amazon #wildlife #emergency #wildfire #fridaysforfuture #fff #fridaysforfutureamazonia #ecology #forabetterfuture #savetheworld #climatejustice #eco #environment #protecttheearth #saveearth #climatestrike #oneearth #onlyoneearth #savetheearth #savenature #noplanetb #loveourplanet #riseforclimate #climateaction #climatechangeisreal #environmentalprotection #protecttheenvironment

A post shared by Fridays For Future (@fridaysforfuture) on

Fridays for Future

Em tradução livre, FridaysForFuture significa “sextas-feiras pelo futuro”. Trata-se de um movimento iniciado em agosto de 2018 por Greta Thunberg, uma jovem ativista de apenas 15 anos. A garota fez uma greve escolar e passou todos os dias, durante três semanas, em frente ao parlamento Suíço, exigindo que os governantes fizessem algo para reverter o cenário das mudanças climáticas.

A garota postou sobre a greve escolar nas suas contas pessoais do Instagram e Twitter e rapidamente viralizou. No dia 8 de setembro, Greta decidiu que continuaria as greves durante todas as sextas-feiras, até que o governo tomasse medidas para combater o aquecimento global.

 (Reprodução/Casa.com.br)

De lá para cá o movimento se espalhou pelo mundo e estudantes e adultos começaram a apoiar a causa, protestando em frente aos parlamentos locais para que seus líderes tenham atitudes de mudança.

Atualmente, o FridaysForFuture atua em 29 países e organiza manifestações em todo o globo, para alertas as pessoas sobre mudanças climáticas.

Manifestações

Além de ser o mote do FFF nesta, sexta-feira, muitas cidades brasileiras organizam-se para pedir mais atenção e cuidado com a Amazônia. Protestos foram organizados nas redes sociais e devem ocorrer em ao menos 11 cidades.

Em foto divulgada nas redes sociais, é possível acompanhar o local e horário de cada manifestação. O Greenpeace divulgou uma imagem que reúne as informações das principais manifestações.

 (Reprodução/Casa.com.br)

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s