Casa Created with Sketch.

Jadim botânico chinês guarda 2000 sementes de plantas para preservação

Pensando no futuro das próximas gerações, o Hangzhou Botanical Garden construiu um banco que inclui sementes raras

 (Divulgação/Casa.com.br)

O Hangzhou Botanical Garden, localizado no leste da província chinesa de Zhejiang, recentemente recebeu 2000 espécies em seu banco de sementes. A iniciativa vem para promover a preservação da diversidade genética das plantas e garantir o futuro das próximas gerações.

Hangzhou Botanical Garden

Hangzhou Botanical Garden (Reprodução/Casa.com.br)

Após serem limpas e colhidas, as sementes são levadas para uma biblioteca de recursos – o banco de sementes – na qual elas são postas, imediatamente, dentro de uma sala para secagem.

Depois de secas, as sementes permanecem seladas em jarras em uma temperatura de -20°C para hibernação.

O banco inclui espécies raras, como aquelas da única árvore Carpinus putoensis do mundo. Mais ambicioso que esta posse, porém, é o desejo do Hangzhou Botanical Garden de ser, futuramente, o maior recurso de sementes no leste da China.

A entrada para o Global Seed Vault no meio do gelo ártico

A entrada para o Global Seed Vault no meio do gelo ártico (Divulgação/Casa.com.br)

Como a China, a Noruega também se preocupa com a preservação de sementes. Não à toa, foi ela o país que bancou, em parceria com a Organização das Nações Unidas, o Global Seed Vault – o “cofre do fim do mundo”.

Inaugurado em 2008, trata-se de um caixa-forte internacional de sementes, erigido na ilha norueguesa de Spitsbergen e enterrado no gelo ártico.

 (Divulgação/Casa.com.br)

A iniciativa visava salvaguardar a agricultura global em caso de catástrofes, como guerras nucleares, quedas de asteróides e mudanças climáticas.

De 1000 m², o Global Seed Vault fica enterrado no permafrost (solo típico do Ártico) e tem capacidade para abrigar até 4,5 milhões de sementes.

Um dos cofres do Global Seed Vault, em que a temperatura é de -18°C.

Um dos cofres do Global Seed Vault, em que a temperatura é de -18°C. (Divulgação/Casa.com.br)

E, como eu sei que você está se perguntando: sim, o Brasil contribui para o Global Seed Vault! Temos depositados 10.000 de nossos germens no cofre internacional.

Para que nunca precisemos retirá-las do banco e que as sementes sirvam apenas para fins de pesquisa, é essencial que cada um cumpra o seu papel com a sustentabilidade. Respeitando a natureza, os desastres não acontecem e tanto as sementes quanto o futuro de todos são preservados.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s