Casa Created with Sketch.

Kit para autoteste do vírus HIV é feito de plástico reciclado

O dispositivo batizado de CATCH foi pensado para países em desenvolvimento e é apresentado como uma solução de baixo custo

 (Hans Ramzan/Divulgação)

O designer britânico Hans Ramzan é um daqueles profissionais que “pensam além” e pontuam para o bem da humanidade: ele lançou um kit de autoteste para HIV feito de plástico reciclado, que permite as pessoas testarem em si mesmas sem viajar para a clínica mais próxima.

Além de ser uma solução de baixo custo, que pode potencialmente salvar milhares de vidas, o dispositivo, batizado de CATCH, incentiva as pessoas de países em desenvolvimento – cujo acesso é limitado – a se testarem de uma maneira fácil.

 (Hans Ramzan/Divulgação)

“O HIV é a principal causa de morte em mais de 90% dos países em desenvolvimento“, explica Ramzan.

Dois milhões e meio de pessoas são infectadas com HIV todos os anos. Devido a muitos fatores externos, que geralmente estão fora do controle individual, as pessoas geralmente vivem com o HIV despercebidas até que ele se transforme em AIDS – o estágio final. Esse dispositivo de baixo custo permite fácil extração de sangue com indivíduos que desejam verificar se eles têm HIV”, diz.

 (Hans Ramzan/Divulgação)

Para usar o CATCH, é fácil. Primeiro, o usuário desliza o dedo em um casquilho no dispositivo, revestido com desinfetante. Depois de pressionar uma pipeta em cima do aparelho, uma agulha perfura a pele. Quando a pipeta é liberada, ela coleta o sangue.

Ao pressionar o botão de trava na lateral do dispositivo, a agulha é liberada e o sangue cai no indicador absorvente. Este, por sua vez, detecta anticorpos no sangue, mostrando duas linhas: uma para indicar que o teste está funcionando e uma segunda se houver anticorpos anti-HIV.

 (Hans Ramzan/Divulgação)

Projetado especificamente para pessoas em países emergentes, onde o acesso a cuidados de saúde, educação e infraestrutura impedem o diagnóstico precoce, o CATCH apresenta um preço de produção de £ 4 (aproximadamente R$20).

“Devido à infraestrutura limitada em muitos países em desenvolvimento, às vezes as pessoas podem morar a quilômetros de distância da estação de ajuda ou hospital mais próximo. O CATCH pode garantir que não essa seja uma viagem desperdiçada e permite um processo fácil de extração de sangue”, explica Ramzan.

 (Hans Ramzan/Divulgação)

Para entender melhor o funcionamento do dispositivo, não deixe de assistir o vídeo abaixo:

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s