Casa Created with Sketch.

Resgate às tradições indígenas é um dos destaques do DW!19

As peças valorizam cultura e tradição dos povos no maior festival de design do Brasil, em São Paulo

Peça assinada por Tsiuya Turuza Waura

Peça assinada por Tsiuya Turuza Waura (Reprodução/Casa.com.br)

O Design Weekend está chegando ao fim. Na última semana, acompanhamos os principais eventos do segmento, que formam o calendário do festival. Entre eles, estão instalações, exposições, lançamentos e repaginamentos de lojas.

Em todos os pilares do evento, houve um resgate às tradições indígenas. Novas peças, exposições e instalações valorizam a cultura indígena e demonstram a importância de valorizar o artesanato deste povo, no atual cenário político.

As peças, com caráter político, são alguns dos destaques do DW!19. Fizemos uma lista com alguns desses lançamentos. Confira abaixo:

Donatelli Tecidos

 (Reprodução/Casa.com.br)

A marca faz uma reedição dos tecidos da Arte Nativa Aplicada, que durante 25 anos, celebrou as raízes e a arte através de uma estamparia inspirada em fontes culturais. A empresa busca fontes de inspiração nas produções artísticas de tribos indígenas.

Feira na Rosenbaum

 (Divulgação/Casa.com.br)

A Feira na Rosenbaum, que ocorre sob a curadoria de Cris Rosenbaum, tem um espaço dedicado às criações indígenas na Galeria Millan. Cris promove o incentivo ao upcycling durante o evento.

Tsiuya Turuza Waura na MADE

 (Divulgação/Casa.com.br)

O artista do Xingu Tsiuya Turuza Waura expõe suas peças na 7ª edição da MADE. Nascido na Aldeia Piyalaga, Tsiuya dedica-se à arte em madeira e produz esculturas e bancos.

Mostra Brasil Tupi – Brazil S/A

 (Divulgação/Casa.com.br)

Sob curadoria de Lilian Pacce e organizada pelo Brazil S/A, um grupo de 21 artistas e designer foi convidado para apresentar verões da rede de dormir, uma peça icônica da cultura indígena.

Decoralle

 (Divulação/Casa.com.br)

Nadia Rezende assina um dos tapetes da nova linha da Decoralle. A designer representa a parte de um todo que se quebrou, da história indígena, que sobrevive aos pedaços ao longo do tempo. Os desenhos homenageiam o índio brasileiro, que se comunica com signos, representados e interpretados por ela.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s