Dupla de arquitetas projeta loja adaptada para pós-pandemia

A proposta venceu um concurso em Curitiba e apresentou novas possibilidades de consumo dentro de um espaço físico

Por Kym Souza 17 ago 2020, 11h46

No dia 30 de julho, em uma live transmitida ao vivo pelo Youtube, foi escolhido o vencedor do desafio promovido pelo Atelier 1901 e pelo LABMODA STUDIO. A proposta era que os arquitetos criassem um projeto de loja física para o contexto pós-pandemia. O projeto vencedor do hackathon será uma pop-up store do LABmoda com múltiplos expositores para o shopping Pátio Batel, em Curitiba.

As vencedoras, arquitetas incubadas do Atelier 1901, Isabelly Zucco e Loren Dias, foram escolhidas entre quatro finalistas por um júri técnico especializado, formado por representantes das áreas de arquitetura, moda e varejo.

A proposta vencedora, chamada Multiverso, apresentou novas possibilidades de consumo dentro de um espaço físico. O destaque do projeto vai para as soluções inventivas que permitem a compra de peças de moda autoral sem a necessidade de contato com elas, ponto importante para o cenário pós-pandemia. Isso será possível com o uso de ferramentas tecnológicas e de fácil acesso, como celular e tablets, para facilitar a escolha dos clientes.

Divulgação/Casa.com.br

O projeto será colocado em prática quando tudo estiver normalizado, no entanto, muitos cuidados ainda precisarão ser tomados. Vestuários com câmara de ozônio para desinfecção de peças, identificação das peças e marcas por QR Code, fluxos independentes para peças que vão e saem dos provadores e outras intervenções no espaço são algumas das propostas do projeto.

A busca pela inovação, aliada à novas possibilidades de consumo, trouxe soluções criativas, tanto no aspecto arquitetônico, como tecnológico. Todos os projetos desenvolvidos por arquitetos incubados do Atelier 1901 também receberam mentorias de escritórios renomados de arquitetura da capital paranaense: Studio Boscardin.Corsi, Giuliano Marchiorato Arquitetos, Solo Arquitetos, BST Arquitetura e RK Arquitetos.

Divulgação/Casa.com.br
Continua após a publicidade

Para o idealizador do Atelier 1901, Ismael Zanardini, que orientou o hackathon ao lado de Thatiane Botto de Barros, sócios do Studio BaZa Arquitetura e Interiores, de Curitiba, os quatro projetos finalistas trazem propostas que sintetizam mudanças pelas quais o varejo já está passando e sinalizam novos contextos para o futuro.

“Os projetos desenvolvidos pelos arquitetos incubados apontam na direção de uma nova realidade de compra e venda em lojas físicas. Os quatro finalistas buscaram na inovação tecnológica e arquitetônica respostas para um desafio importante proposto pelo LABmoda, para um novo ambiente conceitual de venda de moda autoral. Mas essas respostas transcendem esse desafio e falam do varejo como um todo”, pontua Zanardini.

Para Rafael Perry, idealizador do LABmoda, tanto o projeto vencedor como os demais finalistas conseguiram captar a essência do evento de moda autoral que, há uma década, é uma plataforma de divulgação e lançamento de criadores e designers de moda. “Mais do que estarem aliados à proposta de uma pop up store que sirva de vitrine para criadores e uma plataforma de divulgação, com desfiles, eventos culturais, talks e outras manifestações artísticas, as propostas finalistas incorporaram o aspecto da inovação e da criatividade, uma marca do que é o LABmoda. As soluções apresentadas não só propõem algo novo, mas indicam caminhos para aquilo que já está se tornando uma realidade”, reflete Perry.

A pop up store do LABmoda foi projetada em um espaço de cerca de 100 m². Todos os finalistas tiveram de cumprir os requisitos de inovação e soluções de segurança para os novos tempos. 

Divulgação/Casa.com.br

Além do projeto vencedor, que receberá como prêmio a quantia de R$ 7 mil, viabilizado pelo Pátio Batel, as demais propostas trazem conceitos interessantes, do ponto de vista da arquitetura e tecnologia.

Continua após a publicidade

Publicidade