Casa Created with Sketch.

Dia das Mães: 5 séries e filmes para ver com a mamãe

Prepare a pipoca! Fizemos uma lista de filmes e séries que tem mães como protagonistas, para você maratonar com a sua!

Tem um milhão de formas de aproveitar o Dia das Mães: um café da manhã delicioso, um almoço espetacular, um passeio de tirar o fôlego e muito mais. Mas, se sua mãe é como a minha e gosta mesmo de passar o dia curtindo um bom Netflix, eu sugiro que você faça uma boa pipoquinha e siga essa seleção incrível de séries e de filmes para curtir com a mami poderosa. Já adianto que a minha provou e aprovou todas essas!

Gilmore Girls

Lorelai e Rory Gilmore

Lorelai e Rory Gilmore (Divulgação/Casa.com.br)

Se tem uma coisa que eu aprendi com a minha mãe, foi o bom gosto por séries. Foram tardes e tardes que passamos assistindo Gilmore Girls nas telinhas. Você imagina a minha felicidade quando o Netflix colocou a série no catálogo e ainda produziu uma continuação? Eu e minha mãe somos muito parecidas com Lorelai e Rory, então sou mais do que suspeita para falar (bem demais, diga-se de passagem) dessa série incrível.

Produzida e criada por Amy Sherman-Palladino, a série retrata a divertida relação entre Lorelai Gilmore e sua filha Rory. As garotas Gilmore moram em uma pequena cidade fictícia. Representadas por Lauren Graham e Alexis Bledel – que passaram sete anos dividindo diálogos profundos, risadas sinceras, choros necessários e uma relação de sentir inveja – a série conta a história de uma mãe solteira, que engravidou com 16 anos e fugiu de casa para criar sua garota sem intervenção dos pais. A relação maternal é tão expressiva e intensa que essa foi uma das primeiras vezes – se não a primeira – que vimos uma mãe colocar o próprio nome na filha (nos anos 2000 ainda? SUPER feminista e pra frentex). O roteiro ainda aborda a reaproximação de Lorelai com seus pais, que ajudam a pagar a cara escola da neta com a condição de fazer um jantar em família uma vez por semana. Essa duplinha vai te conquistar e arrancar altos suspiros, lágrimas e risos.

Sexta-feira Muito Louca

Tess e Anna.

Tess e Anna. (Divulgação/Casa.com.br)

Eu ainda nem tinha chegado na minha fase rebelde aborrecente quando Sexta-Feira Muito Louca estreou, em 2003, e minha mãe achou que a personagem principal tinha tudo a ver comigo. Lindsay Lohan interpreta a jovem Anna, de 15 anos, que tem dificuldades para aceitar o novo relacionamento da mãe, Tess (Jamie Lee Curtis). O filme aborda os principais hábitos, gostos e manias de uma que aborrecem a outra e vice-versa. Uma senhora chinesa percebe a relação de gato e rato da dupla e as oferece biscoitinhos da sorte, que tem o poder de fazer com que as duas troquem de corpo e passem um dia literalmente na pele da outra. Se prepare para dar muita risada com esse choque de realidades!

Perfeita é a Mãe

Carla, Amy e Kiki.

Carla, Amy e Kiki. (Divulgação/Casa.com.br)

Uma coisa boa sobre as redes sociais é que elas ajudaram a desmistificar a ideia de que ser mãe é perfeito. É cansativo, muitas vezes frustrante, cheio de obrigações e extremamente difícil lidar com a jornada dupla. Mila Kunis faz o papel de Amy, uma mãe que vai contra as regras impostas pela sociedade e se “rebela” dessa realidade com a ajuda de outras duas mulheres, que saem para beber em uma noite e, a partir daí, têm atitudes que desagradam outras mães. A comédia é ideal para um domingo a tarde e nos ajuda a refletir sobre a rotina das mães, que se desdobram em mil para conciliar trabalho, casamento e filhos.

 One Day at a Time

Alex, Lydia, Penelope, Elena e Schneider.

Alex, Lydia, Penelope, Elena e Schneider. (Divulgação/Casa.com.br)

Uma das comédias mais divertidas e cativantes dos últimos tempos, One Day at a Time é o exemplo de humor inteligente que todo mundo devia se inspirar. O remake da série original de mesmo nome retrata uma família cubano-americana que vive em uma onda de drama e comédia. Justina Machado foi a atriz escolhida para interpretar Penelope, uma mãe recém-separada que mora com o casal de filhos e Lydia, a divertida avó, uma cubana tradicional.

O síndico do prédio, Schneider, mora no andar de baixo mas passa mais tempo com essa incrível família do que na própria casa. O contexto atual dos Estados Unidos é abordado de forma inusitada e divertida, assim como outros assuntos importantes, como imigração, feminismo, LGBT+, problemas socioambientais e muito mais. Garanto-te que só a presença de Lydia na série vale passar o dia na frente da TV!

Que horas ela volta?

Jéssica e Val.

Jéssica e Val. (Divulgação/Casa.com.br)

Protagonizado por Regina Casé, esse emocionante filme, dirigido por Anna Muylaert exibe a história de Val, uma babá que deixou a vida no interior de Pernambuco, para garantir melhores condições de vida para Jéssica, sua filha e se tornou praticamente a mãe de Fabinho, um jovem de classe média alta. A trama retrata a reaproximação de mãe e filha quando a jovem visita a capital para prestar vestibular. Muylaert não decepciona ao apontar as desigualdades sociais entre uma empregada doméstica – que precisa abrir mão de sua vida por causa do trabalho – e da classe alta.

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.