Apartamento pequeno é reformado para ficar acessível

A mudança permitiu que o imóvel de 49 m² fosse adaptado para cadeirante. Além de se tornarem funcionais, os ambientes ganharam visual charmoso e acolhedor

Por Texto: Cristiane Teixeira | Reportagem Visual: Eliana Medina | Fotos: Eduardo Pozella Atualizado em 9 set 2021, 21h36 - Publicado em 26 jun 2017, 16h57

O apartamento sofreu uma reforma radical para permitir ao jovem Nikolas se locomover livremente com sua cadeira de rodas pelos espaços onde vive com o pai, o produtor fotográfico Samir Zavitoski.

Foi em um empreendimento em construção, em Guarulhos, SP, que Samir encontrou um imóvel que cabia no bolso. Mas para que as necessidades do filho se encaixassem nos 49 m², seria obrigatório mexer na planta. A construtora aceitou fazer as modificações previstas no projeto da designer de interiores Susan Mestrinelli, desde que Samir escolhesse um dos apês térreos, em fase menos adiantada de obra. “Eu topei, claro!”, diz. “No fim, tudo ficou na altura certa para o Nikolas, possibilitando que ele tenha o máximo de independência dentro de casa”, afirma Susan.

Eduardo Pozella/Minha Casa

Graça, espaço e mão na massa

A maior parte dos móveis veio do endereço anterior. Com eles, Samir montou cantos charmosos, como o hall junto à entrada, que soma aparador retrô, pendente e tecido adesivo padrão Estrela (Flok, R$ 127 o rolo de 0,50 x 3 m) cobrindo a parede.

Eduardo Pozella/Minha Casa

Entre essa superfície e o braço do sofá, foram mantidos 89 cm, suficientes para a circulação de Nikolas (veja detalhes na planta no final da página).

A mesinha ao lado da poltrona, na sala, foi criada pelo morador, que fixou pés palito sob uma gaveta e pintou a frente.

Tons e tamanho certos

Eduardo Pozella/Minha Casa

Na cozinha, um mix de roxo (Impulsive) e turquesa (Surfer, ambas da Sherwin–Williams) tinge as paredes – uma delas recebeu arranjo de quadros.

Eduardo Pozella/Minha Casa

Com medidas de 0,70 x 1,60 m, a mesa de jantar (Via Vila, R$ 1 700) deixa espaço para Nikolas trafegar. E, para que o rapaz possa lavar a louça, a bancada da pia fica mais baixa, a 80 cm do chão. Uma cortina esconde o vão inferior, livre de armários, possibilitando encaixar a cadeira de rodas.

Continua após a publicidade

Urbano,musical e prático

Eduardo Pozella/Minha Casa

“No meu dormitório, eu queria algo da cultura popular”, diz Samir, explicando os cartazes com visual de lambe–lambe (Flok) acima da cama.

Eduardo Pozella/Minha Casa

Nada deixa Nikolas tão feliz quanto tocar bateria! Por isso, o instrumento fica do lado da cama, ainda que isso atrapalhe um pouco a circulação.

Eduardo Pozella/Minha Casa

Cortinas plásticas são mais adequadas a banheiros de cadeirantes do que boxes. Como a estampa sugere, esta foi trazida de Londres.

 Questões de locomoção

A planta original apresentava uma série de limitações de acessibilidade. A construtora, no entanto, encarou o desafio de sair do padrão e executar todas as alterações previstas no projeto, tais como derrubada de paredes e mudanças nas instalações hidráulica e elétrica, adequando o imóvel ao jovem morador.

Ilustração Alice Campoy/Minha Casa

 

 

Ilustração Alice Campoy/Minha Casa

*Largura x profundidade x altura. Preços pesquisados em maio de 2017 , sujeitos a alteração.

Continua após a publicidade

Publicidade