Os erros mais comuns de quem tem plantas em casa

Saiba como mantê-las vivas e saudáveis por mais tempo

Por Luiza Cesar Atualizado em 18 Maio 2022, 12h14 - Publicado em 18 Maio 2022, 19h00
Estante com vasos de diferentes espécies
Erik Mclean/Pexels

Existem muitos benefícios para o cultivo de plantas dentro de casa. Além de trazer um pouco de natureza para o interior, a prática é divertida, relaxante e oferece um aspecto aconchegante para qualquer ambiente. Entretanto, para que as espécies se desenvolvam de forma adequada, é preciso tomar cuidados específicos.

O primeiro passo é ter certeza que as necessidades básicas da muda serão atendidas em um espaço fechado. Não é difícil ouvir relatos de pessoas que decidiram incluir a convivência com vegetação na rotina e tem dificuldades em mantê-la viva por períodos mais longos.

Animação de pessoa cuidando de suas plantas
Huffpost/Reprodução

Muitos acabam acreditando que fornecer apenas água é suficiente, mas é aí que você se engana. Há muitos outros fatores que devem ser considerados para que ela fique forte e vigorosa.

A engenheira agrônoma Sheila Valério, consultora da Esalflores elenca os erros mais comuns de quem cultiva plantas em casa:

Falta de água ou água em excesso

Animação de plantas sendo regadas
Gifer/Reprodução

Apesar da água ser um fator essencial para a manutenção da vida da vegetação, ela não é necessária o tempo todo. Muitas espécies não precisam de regas diárias, o que torna o contato em grande quantidade, na terra ou nas folhas, um perigo – podendo afogar a raiz, dificultar a respiração da muda e levar a podridão.

A falta de água também não é ideal, pois compromete a respiração e o recebimento de nutrientes nos tecidos, tornando a morte uma grande possibilidade. Para que nenhum desses cenários aconteçam, pesquise a frequência de regas indicada para cada espécie e cheque diariamente a umidade da terra.

Continua após a publicidade

Pouca luz

Animação de planta crescendo por causa da luz solar

A luz é essencial para o processo de fotossíntese, que é responsável pela produção de energia para a sobrevivência das plantas. Por isso, a quantidade interfere diretamente no seu crescimento e desenvolvimento.

Ao adicionar um vaso na sua decoração, deixe de lado o espaço disponível e a estética, pois sem acesso ao sol ela não irá prosperar – isso vale até para as espécies de sombra, pois exigem pelo menos algumas horas de claridade.

Não estar atento a pragas e doenças

Animação de plantas morrendo
Reprodução/Giphy

Mesmo em ambientes domésticos, suas mudas estão suscetíveis a encarar uma praga. Para evitar isso, esteja atento às características comuns de cada uma. Se as folhas estiverem amareladas, por exemplo, é sinal de que não está recebendo os nutrientes necessários e precisa de substrato ou adubação específica.

Tamanho inadequado do vaso

Animação de planta crescendo
Nick Bluth/Reprodução

Lembre-se da necessidade de transferir algumas espécies para um vaso maior. Conforme vão se desenvolvendo, muitas podem dobrar de tamanho e para que o crescimento seja sadio é preciso garantir espaço para isso. Verifique se as raízes estão emboladas, vasos rachados ou deformados e as folhas frágeis e caídas – estes são os seus sinais.

Caso contrário, você estará barrando o desenvolvimento e fará com que ela definha e morra em pouco tempo.

Continua após a publicidade

Publicidade