Casa Created with Sketch.

Estes acessórios de mesa são feitos de bio plástico com impressão 3D

A coleção tem cinco designs diferentes em várias cores

 (Reprodução/Dezeen)

O estúdio Pearson Lloyd de Londres trabalhou com o estúdio de design e fabricação em 3D Batch.Works para criar potes para canetas, bandejas e um suporte para celular feito de embalagens descartadas de alimentos para a marca de escritório Bene.

A coleção, chamada de bFRIENDS by Bene, foi impressa em 3D a partir de ácido polilático reciclado (PLA), proveniente de embalagens de alimentos da Batch.Works.

 (Reprodução/Dezeen)

É a primeira vez que Pearson Lloyd projeta um produto impresso em 3D, embora o estúdio tenha usado a técnica por muito tempo para imaginar outros projetos.

“Até agora, sempre usamos como ferramenta de desenvolvimento para nossos projetos. A tecnologia mudou em quase 20 anos de uma ferramenta exótica e cara que usamos para substituir os modelos esculpidos à mão, para uma ferramenta de engenharia para testar peças físicas e agora para uma forma acessível de prototipagem rápida com o estúdio”, disse o cofundador da Pearson Lloyd, Tom Lloyd, a Dezeen.

 (Reprodução/Dezeen)

Os designs do estúdio para a coleção bFRIENDS, que apresenta formas onduladas orgânicas que lembram corais, surgiram porque queriam eliminar o aspecto de acabamento manual e reduzir o tempo de impressão 3D.

Veja também

 (Reprodução/Dezeen)

“Para conseguir isso, optamos por desenvolver uma linguagem formal em que a cabeça de impressão nunca precise se levantar e se deslocar durante a impressão.Isso nos levou a projetar cada produto como uma única linha que rastreia todos os elementos funcionais dentro de seu perímetro.

O desafio de criar porta-canetas individuais levou, por sua vez, à linha rabiscada que entra e sai ao redor de cada caneta. Uma vez que desenvolvemos essa ideia, a linguagem para toda a linha foi seguida rapidamente”, afirma Lloyd.

 (Reprodução/Dezeen)

A coleção é composta por cinco itens – dois porta-canetas, um suporte e duas bandejas – e é feita de PLA 100 % reciclado pela Batch.Works, que obtém o material bioplástico da Europa. O estúdio diz que a produção dos acessórios de mesa, que são feitos de materiais desviados dos aterros, está próxima de net zero e representa um passo em direção a uma produção mais circular.

 (Reprodução/Dezeen)

“Nossa fábrica é alimentada por eletricidade derivada da energia eólica, nossas máquinas estão literalmente a alguns passos de onde nossa matéria-prima é produzida e nossa equipe trabalha de bicicleta”, explica o fundador e CEO da Batch.Works, Julien Vaissieres.

O PLA é um bioplástico derivado do amido de milho em vez do petróleo, tornando-o uma alternativa mais ecológica aos plásticos regulares.

 (Reprodução/Dezeen)

“Em termos de material, temos plena consciência de que, mesmo quando se usa um biomaterial como o PLA, há uma grande quantidade de energia e água que entra no processo de produção. É por isso que trabalhamos tão próximos de nosso fornecedor de material para usar apenas material que já está em seu segundo ciclo. Interceptando o lixo que foi enviado para aterro e transformando-o em produtos valiosos”, informou o CEO.

 (Reprodução/Dezeen)

Assim que os produtos forem usados, eles podem ser reciclados novamente como PLA. Batch.Works também está trabalhando com a Bene para criar um esquema de devolução, permitindo aos usuários enviar os produtos de volta para a Bene ou deixá-los em um showroom. 

 (Reprodução/Dezeen)

O PLA translúcido reciclado é colorido, mas a cor responde por apenas 2% da composição do material. Ao serem coletados de volta, como parte do esquema circular, eles serão separados em suas cores antes de serem reprocessados ​​em um novo material.

“Tudo na linha foi projetado com o fim da vida útil em mente desde o offset. Cada produto é mono-material e monocromático, o que nos permite utilizar o material para produzir novos produtos mais adiante na linha”, complementou Vaissieres.

*Via Dezeen

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.