Cores fortes, brasilidade e peças de design marcam apê carioca

A decoração privilegiou o design brasileiro, com móveis assinados por grandes nomes, como Sergio Rodrigues, Jader Almeida e Arthur Casas

Por Yara Guerra Atualizado em 17 fev 2020, 15h58 - Publicado em 26 jul 2019, 16h12
Denilson Machado/Divulgação

As arquitetas Monique Pampolha e Hannah Cabral, do Studio MH, estiveram à frente deste projeto de 180 m² no Leblon (Rio de Janeiro). Foram quatro meses de trabalho até a conclusão do apartamento.

No lugar da antiga mesa de jantar, que era pequena e ficava isolada na sala, Monique e Hannah desenharam uma mesa maior, mais alta e com banquetas de bar vermelhas no lugar de cadeiras. Também encostaram a nova composição na bancada que separa a cozinha da área social. Denilson Machado/Divulgação

Um dos maiores desafios do projeto, segundo as profissionais, foi atender aos pedidos dos moradores, que solicitaram a presença da cor vermelha e marcenaria com tonalidade mais escura.

Geralmente, optamos por uma paleta de tons sóbrios e madeiras claras ou castanhas”, diz Monique. “Mas, ao final, o resultado dessa mistura inusitada nos surpreendeu positivamente e retrata bem a personalidade marcante do casal”, completa.

No lugar do tradicional sofá da sala de TV, foram usadas duas icônicas poltronas Mole – ideais para o marido assistir a séries e filmes enquanto degusta a coleção de cachimbos, um de seus hobbies caseiros prediletos. Denilson Machado/Divulgação

Outra solicitação dos proprietários foi privilegiar, na nova decoração, móveis assinados por grandes mestres do design brasileiro, como Sergio Rodrigues, Jader Almeida e Arthur Casas, todos bem representados na área social.

À exceção do colorido quadro do artista Kobra, que já estava na residência e ganhou lugar de destaque, a decoração da área social foi totalmente renovada. Denilson Machado/Divulgação
Continua após a publicidade

Com 3,20 metros e estrutura de madeira vazada, que lembra uma treliça, a mesa de centro Cubo Livre, da designer Claudia Moreira Salles, rouba a cena no living.

Já as paredes alternam a cor cinza (com textura artesanal que lembra cimento queimado executada pelo artista Benoit Gentil) com painéis de nogueira, combinação que confere aos ambientes uma atmosfera contemporânea e a sensação de conforto e aconchego.

Denilson Machado/Divulgação

Na suíte da filha, o pórtico bem demarcado próximo à janela foi o ponto de partida para separar a área de dormir da área de estudos.

Esta última ganhou um piso mais elevado e, sobre ele, uma escrivaninha posicionada embaixo da janela para o melhor aproveitamento da luz natural.

Denilson Machado/Divulgação

Como o banheiro da suíte não é tão grande, prevaleceu nele uma estética mais minimalista para não comprometer a sensação de amplitude do espaço.

“A divisória de vidro canelado retrô com perfis de alumínio preto, a sustentação do box na mesma cor e os metais de acabamento black conferem um ar de modernidade ao projeto”, diz Hannah.

Continua após a publicidade

Publicidade