Casa Created with Sketch.

Incêndio em apartamento termina em final feliz com reforma

O duplex de ​​700 m² em São Paulo foi revitalizado com um projeto que foi desenhado em uma semana e entregue em 2019

 (Renato Navarro/BowerBird)

Poucas pessoas não deixariam se abater com um incêndio em casa, e Maurício Pessoa é uma delas. No final de 2017, um curto-circuito de proporções avassaladoras tomou conta do apartamento do advogado e o incêndio levou móveis, lembranças de viagens, coleções, fotos…

Danos enormes, mas materiais. E foi isso o que manteve o morador positivo. “Disse a todos que ia ficar mais bonito do que antes”, lembra o baiano.

 (Renato Navarro/BowerBird)

Foi graças a um conterrâneo, o arquiteto Caio Bandeira, que o projeto foi refeito rapidamente. À frente da Architects + CO juntamente com Tiago Martins, projetou em uma semana os 700 m² do duplex na Vila Nova Conceição, em São Paulo.

 (Renato Navarro/BowerBird)

“Do deck, por exemplo, ele pegou o lápis e desenhou em cinco minutos, no meio dos escombros e do cheiro forte de fumaça. Foi impressionante”, conta Maurício. Seis meses depois, com soluções diferentes e mais divertidas, o look estava pronto.

 (Renato Navarro/BowerBird)

Veja também

As emoções são visíveis no resultado. “Tinha que ter impacto e cores. Não queríamos nada comum”, ressalta Caio, que abraçou cada detalhe. O arquiteto teve como ponto de partida a vista de 180 graus do Parque do Ibirapuera, que não foi contemplada pela posição dos móveis. As salas de estar e jantar estão voltadas para esta paisagem.

 (Renato Navarro/BowerBird)

Na mesma sala, quando Maurício abre um dos painéis, revela-se um atrativo maior – um pequeno palco onde ensaia e toca bateria com a banda Cobertura 25. “Como o palco está fechado em dias normais, o apartamento não parece uma casa de show. A ideia e as cores surgiram com essa preocupação ”, aponta o arquiteto.

 (Renato Navarro/BowerBird)

A planta baixa integrada simplificou a atmosfera na sala de estar. Há mensagens explícitas, como as fotos de Adriana Duque: todas as pessoas se encaixam bem neste lugar. “Amigos são muito bem vindos, alguns deles até moraram aqui. É praticamente uma embaixada da Bahia”, ri o morador.

 (Renato Navarro/BowerBird)

A amplitude atraiu móveis de generosas proporções, ponto forte dos espaços que Caio Bandeira cria. “Isso faz com que as pessoas vejam um sofá bacana, com um impacto maior”, explica.

 (Renato Navarro/BowerBird)

O veludo azul e as cores envolventes, como a mostarda da chaise, foram calculadas para atingir uma combinação singular, com personalidade. “A escolha dos tons é pensada para que à noite o apartamento tenha um clima clássico”, afirma o arquiteto.

 (Renato Navarro/BowerBird)

Se Maurício lida com burocracia o dia todo no escritório onde trabalha, quando abre a porta de sua casa tudo fica leve. Ele finalmente se torna o músico que abre seu palco com orgulho. “Acompanhei muito as obras, dia após dia. Ficou mais aconchegante”, ri.

 (Renato Navarro/BowerBird)

Caio endossa: “A casa não é apenas um quarto. É cada vez mais um lugar para se divertir, beber e dançar. A arquitetura deve ser capaz de se transformar e se adaptar a essa realidade. Seja na sala ou no deck de madeira com espelho d’água, as festas ganharam um significado maior, são dias melhores, de todos os ângulos.

*Via BowerBird

Comentários

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.