Coqueiros: vida a beira-mar

De balneário a bairro residencial, esse endereço conquista moradores com um parque, as praças e as cinco praias, mesmo impróprias para banho

Por Da redação Atualizado em 14 dez 2016, 11h23 - Publicado em 26 jan 2007, 16h44

“Morar aqui é uma beleza”, resume Hamilton Schaefer, presidente da Sociedade Amigos de Coqueiros, que vive na região desde 1969, quando a ponte Hercílio Luz ainda era o único acesso à Ilha de Santa Catarina. “Eu assisti daqui a construção das pontes Colombo Salles, (inaugurada em 1975) e Pedro Ivo Campos (1990)”, orgulha-se, revelando a visão privilegiada que tem da ilha. O bairro, antes pertencente ao município vizinho de São José, passou a integrar Florianópolis em 1943, tornando-se a ‘praia’ preferida da elite da época. “As pessoas tinham casa de veraneio aqui, e só vinham de dezembro a março. E era um bairro muito badalado”, conta ele, lembrando do desfile do primeiro biquíni exibido na cidade, nos anos 50.

Ainda com forte vocação familiar, Coqueiros também atrai pela grande oferta de bares e restaurantes, bem distribuídos ao longo dos 2,3 km de orla marítima. A infra-estrutura é fortalecida por supermercado, escolas, universidade de gastronomia, academias e comércio, ainda incipiente. O parque, que leva o nome do bairro, oferece lazer e esporte numa área de 50 mil m2 em frente ao mar. Estas características atraem as construtoras, cujos investimentos têm uma boa aceitação no mercado, de acordo com o Sinduscon da Grande Florianópolis. Prédios e condomínios predominam no bairro, para os mais diferentes estilos e bolsos.

Positivos:

Área verde

Infra-estrutura

Continua após a publicidade

Negativos:

Acesso

Congestionamentos

Praias impróprias para banho

Boa surpresa”Eu tinha preconceito, por ser no Continente. E achava que não teria contato com a natureza”, revela a designer de jóias e joalheira Marisa Máttua. Por influência do filho de 19 anos, venceu a resistência e visitou alguns apartamentos, há pouco mais de um ano, mas somente depois de procurar em diversos outros bairros da cidade. “Fiquei surpresa ao encontrar o parque, os restaurantes e um apartamento bom e barato”, confessa ela, que não dispensa caminhadas diárias a beira-mar. Mineira, Marisa morava há quatro anos em uma casa, também alugada, no bairro Campeche. A distância dos banhos de mar, entretanto, não desanimam a nova moradora de Coqueiros. “Daqui, posso escolher qualquer praia”, afirma, referindo-se às 42 opções que Florianópolis oferece. Com uma população estimada em 12,6 mil moradores, Coqueiros é endereço de famílias tradicionais da cidade e destino certo de quem procura um bairro com vida própria. Os novos habitantes, muitos de classe média, não alteraram o perfil glamouroso da região, que ainda é considerada uma dos mais nobres de Florianópolis. Quem vive ali costuma participar dos debates políticos e das conquistas, como o Parque de Coqueiros, construído em 1999 pela Sociedade Amigos de Coqueiros, hoje com cerca de 600 sócios. ¿

Continua após a publicidade

Publicidade