4 tendências de reformas que refletem os novos tempos

Pandemia e tecnologia impulsionam mudanças em muitos lares brasileiros

Por Redação Atualizado em 17 jun 2022, 17h41 - Publicado em 19 jun 2022, 19h00
Sala de estar e jantar integrada com varanda; sofá cinza; mesa redonda
Produção Visual: Andréa Falchi/Fotos: Juliano Colodeti, do MCA Estúdio/Casa.com.br

A pandemia e o avanço das tecnologias ligadas aos ambientes domésticos estão provocando mudanças visuais e estruturais em muitos lares brasileiros. Em geral, as transformações são reflexos de novos hábitos e comportamentos das pessoas.

Sem dúvida, o período de restrição à circulação social e a expansão de conexões tecnológicas influenciaram o surgimento de novas tendências no setor de arquitetura, construção e design de interiores.

Foto mostra mesa de home office e cadeira rosa em sala de estar de estilo industrial.

“Os brasileiros deram mais valor às suas moradias e estão fazendo delas um ambiente multifuncional, unindo descanso, trabalho, estudo e lazer. O segmento de reformas e construções evoluiu muito nos últimos dois anos e continua com perspectivas de crescimento”, explica Vitor Cybis, gerente de Marketing da Cascola que destacou 4 tipos de reformas comuns nestes tempos.

1- Home offices

Foto mostra home office com armários e tampo de mesa em madeira clara e cadeira de escritório na cor branca.
Kadu Lopes/Divulgação

Uma parte dos trabalhadores do país “transportou” o escritório para casa em definitivo. O modelo de teletrabalho teve crescimento exponencial no mundo todo no período crítico da pandemia e se consolidou após a redução global da transmissão do vírus.

Um levantamento do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) indica que 11% das pessoas empregadas no Brasil exerceram suas atividades remotamente entre maio e novembro de 2020 (cerca de 8,2 milhões).

Home office de paredes verdes. Algumas plantas decoram o ambiente.
Token Home/decoist

Outro dado importante do Ipea estima que 16,6% das atividades realizadas no país podem ser exercidas de forma remota. O estudo também revela que o Distrito Federal e São Paulo são as regiões do Brasil com maior potencial para absorver funções remotas. Nestes locais, estima-se que 28% e 21% das atividades, respectivamente, podem ser feitas por teletrabalho.

A criação de ambientes de trabalho ganha ainda mais sentido com a expansão do modelo híbrido, que possibilita o trabalho tanto em casa quanto no escritório.

2- Divisórias de ambientes

Foto mostra sala de estar e jantar com serralheria pintada de amarelo separando a sala de estar da sala de jantar.
Federico Cairoli/Divulgação

Com a família mais tempo em casa, a individualidade acabou sendo prejudicada para muitos. A procura do termo “divisória de ambiente” mais que dobrou nas buscas do Google entre o início da pandemia e os dias atuais.

Continua após a publicidade

Essas estruturas que oferecem praticidade na instalação podem ser vazadas e retráteis. E estão em alta pela capacidade de individualizar ambientes e por possibilitar a integração de cômodos. Nesse sentido, as divisórias de ambientes têm sido usadas em projetos de design de interiores para repartir o cômodo em dois ou mais ambientes.

Sala com sofá cinza e quadros na parede; à direita, porta de correr de madeira
Produção Visual: Andréa Falchi/Fotos: Juliano Colodeti, do MCA Estúdio/Casa.com.br

“O processo de instalação de divisórias de ambiente, sejam elas de madeira, MDF, PVC ou outras superfícies, tornou-se mais fácil com a utilização de adesivos de montagem. Esses produtos promovem a fixação dos materiais, com melhor acabamento e durabilidade”, avalia Vitor Cybis, gerente de Marketing da Cascola.

Segundo ele, em relação à segurança, nem sempre é possível saber como são as plantas hidráulicas e/ou elétricas de um ambiente. Assim, usar furadeira ou demolir paredes pode virar um problema. “Portanto, é mais uma oportunidade para utilizar adesivos de montagem de forma segura, por exemplo”, acrescenta.

3- Integração de ambientes sociais

Foto mostra sala de estar e jantar integradas, com prateleira de plantas sobre sofá.
Luis Gomes/Divulgação

Aproveitar cada metro quadrado do espaço doméstico nunca foi tão importante. Nesse sentido, criar espaços multifuncionais interligados – a exemplo do trio sala de estar, varanda e cozinha – é uma solução que proporciona a sensação de amplitude à residência.

Por necessidade real e cotidiana, a população tem olhado para o próprio imóvel com mais carinho e atenção. Consequentemente, essas transformações no espaço doméstico fizeram o setor de materiais de construção crescer 16% em 2021, na comparação com o ano anterior.

Os dados são de um estudo feito pela Associação Nacional dos Comerciantes de Materiais de Construção (Anamaco), em parceria com o Instituto Brasileiro de Economia da Fundação Getúlio Vargas.

4- Espaço de estudos

Foto mostra escrivaninha em quarto que sugere ser de uma menina ou adolescente. Na mesa branca há um laptop e objetos cor de rosa.
Andrijana Bozic/Unsplash

O ensino à distância já era uma realidade antes da pandemia e ampliou sua base estrutural para atender os estudantes no período de restrição social. Mesmo com o maior número de vacinados e flexibilização no controle ao vírus, o ensino remoto segue em alta.

Home office; cantinho de estudos; mesa branca com cadeira rosa; parede rosa clara
Design Café/Reprodução

A migração dos estudos em sala de aula para o lar teve consequência direta nas reformas domésticas. Projetos de design de interiores têm privilegiado mais conforto e otimização de espaços. Exemplo disso é a instalação de suportes fixados com soluções adesivas nas paredes, para guardar materiais escolares, além da preocupação com a ergonomia.

Continua após a publicidade

Publicidade