O papel de parede de Dear White People é mais importante do que você pensa

Toda a decoração ajuda a série a montar o contexto político e social que ela discute em cada episódio

Por Marcela De Mingo 22 jun 2018, 15h51

Já vimos que as séries de televisão também usam a decoração como uma forma de tornar um show mais famoso ou marcante – é o caso das paredes roxas em Friends. Com Dear White People, isso também acontece, mas de uma forma que o viés político da trama fica em destaque.

Se você é fã da atração da Netflix, com certeza já percebeu que os personagens sempre aparecem em frente a um fundo com papel de parede. Isso tem motivo, claro: cada modelo foi escolhido a dedo para ajudar na composição dos personagens.

Por exemplo, o papel de parede que vemos no quarto de Tony, interpretado por Brandon P. Bell, tem cavalos porque ele vem uma família rica que investiu muito na sua educação. Como cavalos são animais caros, que precisam de muitos cuidados e que, muitas vezes, participam de competições que avaliam a atenção que recebem, a referência faz sentido e valida esse contexto. 

papel de parede dear white people
Netflix/Divulgação

 

Continua após a publicidade

 

Continua após a publicidade

A ideia também é colocar os protagonistas em cenas que lembram quadros antigos, daqueles que vemos em museus, mas que, em sua maioria, dão destaque para pessoas brancas e de origem europeia. A ideia é passar uma sensação para o espectador, colocando uma pessoa negra em uma posição diferente daquela que é conhecida para essa minoria. O mesmo vale para as inúmeras referências a cenas clássicas de filmes que são recriadas ao longo da série, e que originalmente também são protagonizadas por brancos.

“Isso causa um efeito no seu subconsciente, ver uma pessoa negra em uma pose tão clássica. Meio que faz com que ele refaça alguns links, como se você nunca tivesse pensado em colocar esses dois elementos juntos em uma mesma cena”, contou Justin Simien, criador da série, para o Apartment Therapy.

Além disso, toda a trama, e isso inclui a decoração no geral, segue uma mesma paleta de cores. Um pouco voltada para o sépia, com alguns poucos elementos de cores mais fortes (o vermelho é uma constante), também tem um motivo político: ela foi inteira inspirada em um antigo cartaz da época da luta por Direitos Civis nos Estados Unidos, criado para recrutar soldados negros para a batalha.

papel de parede dear white people
Netflix/Divulgação

Na imagem original, as principais cores usadas são o azul, o vermelho e o branco (as cores da bandeira americana e também do uniforme utilizado por alguns, na época), além do marrom e do verde.

Um detalhe interessante: dificilmente você vai ver na série elementos dourados. Isso porque, também na época da pintura usada como referência, o ouro era considerado a única forma de riqueza, e na atração é utilizada apenas quando um dos protagonistas consegue, de alguma forma, se descolar da sua identidade negra e ter um senso do seu ‘eu’ verdadeiro.

Siga Casa.com.br no Instagram

Divulgação/CASA CLAUDIA
Continua após a publicidade

Publicidade