20 modelos de porcelanato

Durável e resistente, esse revestimento conquistou definitivamente as casas brasileiras. Nesta seleção, há modelos para todos os bolsos e gostos. Leia as orientações para acertar na compra, instalação e manutenção.

Por Danilo Costa e Edson G. Medeiros Fotos: Luis Gomes

Ele mudou bastante desde que chegou por aqui, há 16 anos, trazido da Itália. Da primeira fabricação nacional, em 1996, até os dias de hoje, o porcelanato já assumiu inúmeros tons, texturas, tamanhos e imitou quase tudo cimento, pedra, madeira, metal e tecido. E os avanços não devem parar por aí, diante do alto investimento da indústria brasileira em tecnologia para o aperfeiçoamento das peças. Saiba mais sobre tendências, características, compra, escolha segura, instalação e manutenção. E se você procura por pisos de madeira para o interior de sua casa, descubra como escolher laminados, tacos e assoalhos.

Preços pesquisados em outubro de 2008

Divulgação

1. Com textura, o porcelanato retificado Tibet (60 x 60 cm) ...
1. Com textura, o porcelanato retificado Tibet (60 x 60 cm) tem cores inspiradas nos rochedos do Oriente. Da Gyotoku, R$ 156 o m².2. A serigrafia da série Bambu reproduz os galhos dessa planta. Cada placa esmaltada (51 x 51 cm), da Biancongres, custa R$ 100 (seis peças cobrem 1,60 m²).3. Esmaltado e retificado, o Pietra Nobilis natural (45 x 90 cm) traz pontos metálicos e é antiderrapante. Da Portinari, R$ 110 o m².4. Criada em parceria com o paisagista Benedito Abbud, a linha Piantare tem pequenos relevos. Esta placa esmaltada (45,7 x 45,7 cm) na cor fiore mistura tons pastel. Da Gail, R$ 34 o m².5. Feito com massa reaproveitada, o Ecostne economiza até 50% de energia no processo de moagem e reutiliza a água da fábrica. Esta peça retificada (60 x 60 cm), da Eliane, custa R$ 142 o m². Os modelos desta página podem estar em pisos e paredes internos e externos.

TENDÊNCIA

No início de outubro, as atenções se voltaram para o maior evento internacional do setor, a Cersaie (em Bolonha, na Itália), que contou com seis empresas brasileiras. Lá se confirmam algumas tendências e se revelam os padrões que poderão virar sucesso nos próximos anos. Vi muito marrom-acinzentado, azul-esverdeado e tons masculinos, como cinza e marrom, diz Irina Pandolfi, coordenadora da feira Revestir (São Paulo), que visitou a mostra. Também apareceram por lá revestimentos com relevos, sobreposição de desenhos e branco com várias serigrafias. Os brilhos e as reproduções de outros materiais continuam em destaque.

 

CARACTERÍSTICAS

Feito de argila e feldspato e submetido a uma queima de 1 200 a 1 250 0C, o porcelanato é conhecido por sua alta resistência, durabilidade e porosidade quase nula, o que o torna bastante impermeável. Além de ser lindo, também é rápido de instalar, um atrativo para quem está reformando, conta a designer de interiores paulista Maximira Durigan. Ele só requer a regularização do piso, avalia a profissional. O porcelanato pode ser técnico (polido ou natural), com absorção de água menor ou igual a 0,1%, e esmaltado, quando esse número é menor ou igual a 0,5%. Quanto mais baixo esse índice, menor a porosidade e maior a compactação da placa, explica o químico Sérgio Ruzza, da Triaxial Representação e Consultoria, de Cocal do Sul, SC. Isso significa características mecânicas superiores, como resistência à abrasão, completa ele.

Divulgação

6. O esmalte aveludado do Goa Bianco (60 x 60 cm) remete aos...
6. O esmalte aveludado do Goa Bianco (60 x 60 cm) remete aos mármores indianos e convida ao toque. Da Portobello, R$ 100 o m².7. A linha Pau Brasil, padrão rústico, tem a textura e o formato dos assoalhos de madeira. Da Itagres, esta placa esmaltada e retificada (15 x 67 cm) sai por R$ 72,50 o m².8. A aparência da madeira e do mármore travertino originou o Sensitive esmaltado e retificado (59 x 59 cm), na cor fendi. Da Eliane, R$ 86 o m².9. Porcelanato retificado Plenitá grafite (60 x 60 cm). Da Ceusa, R$ 78 o m².10. O Portostone Amalfi (80 x 80 cm) é retificado e traz um marmorizado suave. Da Porto Ferreira, R$ 149 o m². Nesta página, os revestimentos são recomendados para paredes e pisos internos.

 

COMPRA

Comece identificando as características de cada porcelanato (como polido ou natural) para escolher os mais adequados aos ambientes. Ter segurança na qualidade de fabricação e no recebimento do produto correto também é importante. Segundo o arquiteto paulista André Moral, da Step Revestimentos, as cores escuras e as versões com aparência de madeira trazem a sensação de aconchego, enquanto as claras favorecem a amplitude. Convém evitar as esmaltadas em casas de praia, onde o atrito com a areia é constante. No piso do boxe do banheiro ou em áreas descobertas, esse tipo de acabamento costumar deixar a superfície escorregadia quando molhado. Prefira as peças naturais, alerta a arquiteta Rita Müller, de São Paulo. A recomendação de André é aplicar produtos que torne as placas antiderrapantes. Em ambientes como a cozinha, atenção aos rústicos demais. Alguns retêm gordura com mais facilidade, orienta Rita.

Divulgação

11. O Unique Cioccolato tem o visual dos tijolos. Da Lepri, ...
11. O Unique Cioccolato tem o visual dos tijolos. Da Lepri, custa R$ 55 (11 x 23 cm) e R$ 113 (46 x 46 cm) o m².12. Cada placa esmalta e retificada Patchwork (51 x 51 cm), da Biancogres, vale R$ 100 (seis peças cobrem 1,60 m²).13. Moisaco esmaltado fosco Malla Soho Blanco. Da Roca, R$ 39 a placa telada de 43,8 x 43,8 cm.14. Porcelanato retificado Zeus (60 x 60 cm) com aparência de travertino. Da Lanzi, R$ 135 o m².15. O brilho do metal está nas placas esmaltadas e retificadas (60 x 60 cm) da linha Metal Line Orlov. Trazida da Itália pela Neostone, custa R$ 300 o m², na Recesa. Com exceção dos números 11 e 12 (bem-vindos inclusive em ambientes externos), as demais peças só podem cobrir paredes e pisos internos.

 

INSTALAÇÃO

A contratação de mão-deobra especializada é imprescindível. Para me sentir mais segura, costumo comprar o revestimento já com esse serviço incluso, diz Maximira Durigan. O arquiteto André Moral alerta para os cuidados com as ferramentas adotadas. Em vez de maquita, prefira a riscadeira, que deixa o corte das peças perfeito, aconselha. Se você optou por porcelanatos grandes, André recomenda passar a argamassa tanto nas placas como no contrapiso. Essa dupla camada impede as trincas e o descolamento, completa. Para o rejuntamento, Ana Paula Menegazzo indica consultar as instruções do fabricante. Costumo usar os rejuntes de epóxi porque não são porosos, como os cimentícios, e simplificam a limpeza, revela André.

 

MANUTENÇÃO

Feita a limpeza pósobra, que remove o resto de argamassa e de rejunte, basta usar água e sabão ou detergente neutro no dia-a-dia. Alguns fabricantes contam com produtos específicos para a remoção de sujeiras e convém consultá-los no caso de manchas mais difíceis, como tinta, café e ferrugem. Evite produtos químicos e abrasivos, pois podem prejudicar o esmalte.

Divulgação

16. Esmaltado e retificado, o Strada cinza (50 x 50 cm) lemb...
16. Esmaltado e retificado, o Strada cinza (50 x 50 cm) lembra o mármore. Batistella, R$ 50 o m².17. O Nobre Marfim (12 x 48,5 cm) é esmaltado e retificado. Da Chiarelli, R$ 55 o m².18. O Metrópolis (60 x 60 cm) é esmaltado e polido. Trazido da Espanha, custa R$ 270 o m², na Colormix.19. O diferencial do Croma Travertino polido na cor bianco (1,20 x 0,60 m) são os veios na vertical. Da Gyotoku, R$ 211 o m².20. Esmaltado e retificado Eco Nature (15 x 90 cm) inspirado na madeira de demolição. Da Portinari, R$ 155 o m². Com exceção das opções 16 e 17 (para áreas externas), as demais só podem estar em pisos e paredes internos.

 

ESCOLHA SEGURA

Prefira as peças que sigam a NBR 15 463, criada em 2007 especialmente para os porcelanatos. Em teoria, os importados devem atender às nossas regras, orienta Alais Coluchi, coordenadora de relações internacionais da Associação Nacional de Fabricantes de Cerâmica para Revestimento (Anfacer), de São Paulo. Mas, como nem sempre isso acontece, ela sugere que você solicite ao revendedor um laudo técnico emitido por laboratórios credenciados pelo Inmetro. Outro cuidado está na exigência da nota fiscal caso o produto tenha problemas, o código consumidor oferece a garantia legal de 90 dias (a partir da da compra). A solução precisa vir do revendedor. Se ele resolver, quem se responsabiliza é o fabricante, explica Márcia Christina de Oliveira, da Fundação Procon-SP.

Curta o CASA.COM.BR no Facebook

-->