Wang Shu, da China, ganha o Pritzker 2012

Conheça o Museu de Arte Contemporânea de Ningbo, a Academia de Belas Artes de Xiangshan e outras obras do arquiteto, que leva o "nobel" da arquitetura este ano

Por Da redação Atualizado em 19 jan 2017, 13h43 - Publicado em 27 fev 2012, 20h18

Pela segunda vez, desde que a premiação foi criada, um arquiteto de origem chinesa receberá o Pritzker. Wang Shu, de 48 anos, que tem como obras de destaque o Museu de Arte Contemporânea de Ningbo, a Academia de Belas Artes de Xiangshan e a biblioteca da Faculdade de Wenzhen em Suzhou, foi elogiado pelo juri pela sua capacidade de valorizar o contexto local, fugir da reprodução do exótico e ser atemporal. Sua obra ultrapassa o debate sobre como deve ser o processo de urbanização na China – se ancorado na tradição ou vinculado às perpectivas chinesas de futuro. Diferentemente do cantonês, radicado nos Estados Unidos, I.M. Pei, que ganhou o Pritzker em 1983, as obras de destaque de Wang Shu estão todas em seu país.

O Pritzker é o mais importante prêmio da arquitetura e existe desde 1979. No Brasil, Oscar Niemeyer e Paulo Mendes da Rocha já foram ganhadores. A cerimônia de premiação, neste ano, acontecerá em 25 de maio, em Pequim. Mas o local de premiação já estava escolhido desde o ano passado – ou seja, não há nenhuma relação com o fato de o ganhador ser do mesmo país.

Publicidade