Periferia de SP ganha fachadas coloridas com projeto de Marcelo Rosenbaum

Com a proposta de pintar as fachadas de 63 casas, o projeto A Gente Transforma mudou a paisagem do Parque Santo Antônio

Por Texto e fotos Cristiane Komesu Atualizado em 20 dez 2016, 23h07 - Publicado em 28 jul 2010, 12h22
Um título para uma foto sem titulo

O quanto levar cor às paredes de uma casa pode mudar uma comunidade? Essa questão é central no projeto A Gente Transforma, liderado pelo designer Marcelo Rosenbaum no Parque Santo Antônio, zona sul de São Paulo. A ação realizou a pintura das fachadas de 63 casas ao redor do Campo do Astro, único ponto de lazer da região. “A cor dá autoestima. Ao redor do campo, ela empodera a comunidade, gera unidade”, explica o designer. Além disso, a atividade também pode contribuir para gerar renda a partir da capacitação dos moradores, que receberam treinamento da Suvinil.

Durante a semana de 18 a 25 de julho, aconteceu a etapa “Mão na Massa”, em que os universitários selecionados – 31 brasileiros e quatro ingleses – juntaram-se à comunidade e à ONG Casa do Zezinho para definir os projetos e fazer um mutirão para a pintura das casas.

A comunidade, próxima ao Capão Redondo, na periferia da cidade, tem problemas crônicos de habitação, saneamento e lazer. Erguidas às margens do córrego, as casas sofrem com inundações constantes. “Quando ameaça chover, sinto até um negócio. Largo tudo onde estiver e venho correndo para casa”, conta a moradora Maria Goreti de Oliveira Mateus, que já teve a casa inundada diversas vezes durante os 17 anos em que mora na região. “O que a gente está fazendo resolve apenas uma parte do problema, que é a unidade dessa comunidade. É preciso despertar também o setor universitário e o poder público”, afirma Rosenbaum.

Continua após a publicidade

Publicidade