Curitiba ganha usina solar que gerará, anualmente, em torno de 18.600 MWh

Como parte do programa Curitiba Mais Energia, a capital do Paraná vai ganhar um sistema que combina painéis fotovoltaicos e geração de energia a biomassa

Por CicloVivo 11 mar 2020, 12h00
Reprodução/Casa.com.br

Como parte do programa Curitiba Mais Energia, a capital do Paraná vai ganhar um sistema que combina painéis fotovoltaicos e geração de energia a biomassa. Batizado de Pirâmide Solar da Caximba, o projeto será instalado em um aterro sanitário desativado e terá, como o nome indica, o formato de pirâmide.

A potência total será de 5 MW, sendo uma Unidade Geradora Fotovoltaica com potência de 3,5 MW e uma Unidade Geradora a Biomassa com potência de até 1,5 MW. Esta segunda vai reaproveitar os resíduos vegetais de podas de árvores e jardins para gerar energia.

De acordo com a prefeitura, a energia “limpa” vai produzir 43% da demanda energética dos prédios municipais. A gestão estima que, anualmente, a produção deve gerar em torno de 18.600 MWh.

Quer saber mais? Então clique aqui e veja a matéria completa do CicloVivo!

Continua após a publicidade

Publicidade