Ambev faz álcool gel em garrafa pet para hospitais públicos

Com o aumento da demanda por álcool gel, a empresa brasileira Ambev vai mudar sua produção para atender a demanda dos postos de saúde e hospitais

Por Ana Carolina Harada Atualizado em 19 mar 2020, 15h51 - Publicado em 18 mar 2020, 17h48
Reprodução/Casa.com.br

A chegada do Coronavírus no Brasil gerou um pânico, praticamente, generalizado em busca de itens de primeira necessidade para a quarentena. Aparentemente, pelos estoques (ou falta de estoques) nos supermercados, os produtos priorizados pelos brasileiros são papel higiênico (?) e álcool gel. Esse segundo já se tornou praticamente um artigo de luxo, disputado a tapa nas farmácias.

Reprodução/Casa.com.br

Contudo, esse aumento explosivo na demanda pode gerar a falta de álcool nos locais que mais precisam dele, como os hospitais e centros médicos que estão na linha de frente da batalha contra o Covid-19.

Para amenizar esse problema, a Ambev anunciou na terça-feira (17) que irá produzir 500 mil unidades de álcool gel para serem distribuídas a hospitais da rede pública em São Paulo e Rio de Janeiro e no Distrito Federal, locais com maior número de casos. Cada unidade receberá 5 mil frascos.

Reprodução/Casa.com.br

O álcool do composto virá da linha de produção da cerveja e da produção da Brahma. Já as embalagens – uma grande questão da produção do álcool gel, já que a maioria delas é importada da China e não estão chegando novas remessas – serão feitas de garrafas pet, que não faltam para a Ambev. Até a logística de distribuição será feita pela empresa.

Continua após a publicidade

Reprodução/Casa.com.br

Em 2020, a Companhia Nacional de Álcool (CNA), que representa 70% do mercado de álcool em todo o país, estima que a atual capacidade de produção de álcool gel no Brasil é capaz de atender somente metade da demanda, que cresceu 1.700%. No mundo a situação é similar.

Na França, por exemplo, a empresa de cosméticos e perfumaria LVMH, responsável por fragrâncias da Christian Dior, Guerlain, Givenchy e Lois Vuitton, vai destinar três de suas fábricas para fazer álcool gel, que será entregue ao governo sem nenhum custo.

Reprodução/Casa.com.br

Porém, os especialistas afirmam que o desespero em torno do álcool gel é infundado. Ele é um recurso útil para higienizar as mãos em locais ou circunstâncias em que não é possível lavá-las, mas lavar as mãos em água corrente, com sabonete por 20 segundos, incluindo o dorso, a palma, entre os dedos e as unhas também é uma forma eficaz de eliminar o vírus.

Continua após a publicidade

Publicidade