Casa Created with Sketch.

Li Edelkoort crê que Coronavírus seja um marco de recomeço para sociedade

Li Edelkoort, uma das analistas de tendências mais importantes do mundo, compartilha suas previsões acerca do Covid-19

 (Reprodução/Casa.com.br)

O que significará, socialmente falando, a epidemia do Covid-19? Li Edelkoort acredita que as mudanças serão profundas, virão a um custo alto, mas serão benéficas a longo prazo.

Edelkoort é tida como uma das analistas de tendências mais influentes do mundo, prestando serviços a empresas de moda internacional. Ela foi diretora da Design Academy Eindhoven de 1998 a 2008. Sua teoria é que o coronavírus levará a “uma recessão global de magnitude nunca antes experimentada”, e depois uma revisão dos valores de consumo, exposição e excessos da sociedade.

Confira trechos da entrevista que a analista concedeu ao site Dezeen:

Qual você acha que será o impacto do Coronavírus?

Li Edelkoort: O impacto do coronavírus será estratificado e complexo, passando da descrença e da segurança social à percepção progressiva do impacto em nossas vidas, a uma apreensão assustadora do que os cenários podem ser, à realização de eventuais soluções por auto-separação na sociedade e escritórios, ateliês e retiros independentes.

 (Reprodução/Casa.com.br)

Você disse à revista Quartz : “Acho que devemos ser muito gratos pelo vírus, porque pode ser a razão pela qual sobrevivemos como espécie”. Você mantém isso e o que você quer dizer?

Li Edelkoort: O artigo Quartz foi retirado de uma curta entrevista entre os intervalos na conferência Design Indaba e o vírus não era o principal assunto, mas eu mantenho o que disse.

Estou ciente dos perigos e ameaças imediatas que isso representa para pessoas de todo o mundo. E estou muito triste pelas famílias das pessoas que já deram suas vidas a esta nova doença. Felizmente, eles não morreram em vão, pois o mundo se esforçará para ressuscitar a dignidade e a sobrevivência humana.

O impacto do surto nos forçará a desacelerar o ritmo, deixar de pegar aviões, trabalhar em nossas casas, convivendo apenas entre amigos ou familiares próximos, aprendendo a nos tornarmos auto-suficientes e atentos. De repente, os desfiles parecem bizarros e sem sentido, os anúncios de viagens que entram nos computadores parecem invasivos e ridículos, o pensamento de projetos futuros é vago e inconclusivo: será que isso importa? A cada novo dia, questionamos cada sistema que conhecemos desde o nascimento e somos obrigados a considerar sua possível morte.

Por vários anos, entendemos que, para sobreviver como espécie e manter o planeta funcionando, precisamos fazer mudanças draconianas na maneira como vivemos, viajamos, consumimos e entretemos. Não há como continuar produzindo tantos bens e muitas opções com as quais nos acostumamos. A massa debilitante de informações sobre nada entorpeceu nossa cultura. Há uma crescente conscientização entre as gerações mais jovens de que a propriedade e o estoque de roupas e carros não são mais atraentes.

 (Reprodução/Casa.com.br)

Quais você acha que serão os impactos a longo prazo na sociedade e no meio ambiente?

Li Edelkoort: As imagens recentes da atmosfera acima da China mostraram como dois meses sem produção limparam o céu e permitiram que as pessoas respirassem novamente. Isso significa que o vírus mostrará como a desaceleração e o desligamento podem produzir um ambiente melhor que certamente será visível em larga escala. Se incluirmos viagens aéreas e de barco, viagens de férias, viagens de negócios e transporte, a limpeza deve ser considerável.

Portanto, se formos sábios – o que, infelizmente, agora sabemos que não somos -, começaremos novamente com novas regras e regulamentos, permitindo que os países voltem ao seu conhecimento e qualidades específicas, introduzindo indústrias caseiras, que floresceriam e se tornariam artes e ofícios, onde o trabalho manual é apreciado acima de tudo.

Um desligamento regulamentado das fábricas por dois meses por ano poderia fazer parte desse conceito, assim como os estúdios criativos coletivos que produziriam ideias para várias marcas ao mesmo tempo, gerando uma economia de escala com uma pegada ambiental muito mais leve.

Veja a entrevista completa em inglês, no site do Dezeen.

Comentários
Deixe um comentário

Olá,

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s