Por baixo dos lençóis está o goleiro da seleção italiana de futebol

O goleiro italiano Gianluigi Buffon deixa as luvas de lado e investe 54 milhões de reais no Grupo Zucchi, líder no mercado italiano de roupa para cama, mesa e banho.

Por Por Fernanda Massarotto, de Milão | Fotos: Divulgação Atualizado em 20 dez 2016, 23h15 - Publicado em 2 jun 2014, 19h27

Engana-se quem imagina que o goleiro da seleção da Itália (e da Juventus) apenas pense e viva de futebol 24 horas por dia. Para surpresa de muitos, Gianluigi Buffon, 36 anos, se tornou acionista majoritário, em dezembro do ano passado, de uma das mais tradicionais empresas Made in Italy: a Zucchi. A marca se destaca, em um mercado muito competitivo, pelo luxo de suas peças, pelo design inovador e pelos produtos de alta qualidade e tradição.

Com 56% das ações e 54 milhões de reais investidos na empresa que detém não só a Zucchi mas também a marca Bassetti, o goleiro mostrou que tem tino para negócios. Fora dos campos, Buffon admite que essa foi a sua melhor “defesa”. “A escolha de comprar ações da Zucchi não aconteceu por acaso. Seguia o andamento da empresa na Bolsa e gostei do que vi, explica o empresário e esportista que virou até garoto propaganda das marcas. Em tempos de crise, o nome de Buffon fez com que as ações do grupo subissem. Em vista do sucesso, o grupo estipulou como uma de suas principais metas o mercado estrangeiro principalmente com as coleções da Zucchi Home, segmento de alto padrão. “Queremos conquistar o mercado lá fora e principalmente o Brasil. Por isso, já abrimos três boutiques Zucchi Home Fashion: uma em Brasília e duas em São Paulo. E em breve será vez do Rio”, comemora o goleiro que irá cortar a fita de inauguração do jogo de abertura da Copa do Mundo do Brasil. “Espero que os brasileiros se apaixonem assim como todos nós por aqui”, anuncia a diretora criativa da grife Annalisa Tani. “Queremos sim ampliar nossa penetração no exterior”, repete o acionista majoritário que faz incursões esporádicas nos escritórios da empresa. Porém, afirma o goleiro, “agora é hora de pensar apenas em futebol. Sei que será muito difícil para a Itália mas o time está crescendo. Uma final no Maracanã, seria maravilhoso. Afinal, o Brasil é o berço do futebol”, declara o empresário e goleiro Buffon que espera que esse Mundial seja um verdadeiro sonho.

Publicidade