O estilo tropicalista de Rafic Farah

Dono de uma trajetória autêntica, Rafic Farah transita por vários universos: fotografa, arquitetura, design gráfico e de mobiliário

Por Texto Luisa Cella Atualizado em 14 dez 2016, 12h29 - Publicado em 17 dez 2013, 20h38

No exercício de explicar suas referências e inspirações, Rafic cita composições de Gilberto Gil, pinturas de matisse, formas de Niemeyer e lembranças marcantes de sua infância – mais precisamente, as primeiras visitas que fez ao Museu de Arte de São Paulo (Masp). Arquiteto, designer gráfico e de mobiliário, artista e fotógrafo atuante, ele vê a especialização como algo negativo e se autointitula um tropicalista. Formado em arquitetura pela Universidade de São Paulo (USP) durante a ditadura e um dos cofundadores da Escola da Cidade, o criativo de pensamento livre defende a importância de incentivar vocações artísticas múltiplas nesse tipo de curso. em seu caso, o reconhecimento inicial veio com trabalhos de logotipia e identidade visual para marcas como Zoomp e Side Walk. Depois, arriscou peças de mobiliário e a primeira obra arquitetônica: sua própria casa, que cativou o olhar exigente do mestre Paulo Mendes da Rocha. Entre a produção recente, destaque para os móveis da linha brasil 66, desenvolvidos com tecnologia e marcenaria naval em parceria com o arquiteto Otávio Coelho. Um dos integrantes dessa coleção é o banco osso, na galeria acima.

Publicidade