O encantamento do cristal na arquitetura e no design

Revigorados com tecnologia de ponta, corpos cristalinos brilham ainda mais

Por Texto Liège Copstein Atualizado em 20 dez 2016, 22h34 - Publicado em 4 fev 2015, 15h56

A ciência define os cristais como formações rochosas geradas sob certas condições geológicas. Mas a alma humana tende à poesia, e escolhemos chamar cristal tudo o que remete a pureza, leveza e cintilância. O sapatinho da Cinderela, se existiu, provavelmente foi feito de uma liga de vidro com, no mínimo, 30% de óxido de chumbo – garantia de transparência também nas tradicionais taças de nossas avós. O avanço tecnológico cumpriu sua parte gerando superfícies mais polidas, resistentes e translúcidas. Repaginado para consumo contemporâneo, o material, aliado a todo seu acervo de sonhos, está presente no universo fashion, na arquitetura e no design em propostas que resgatarão a fantasia de viver num palácio invisível.

Publicidade